sexta-feira, 13 de maio de 2011

Brasileiro consome mais do dobro de sal recomendado pela OMS

* por Patricia Davidson Haiat

 
Quatro dicas para diminuir o consumo de sal
A famosa pressão alta chamada tecnicamente de hipertensão arterial é uma doença silenciosa. Por isso muita gente tem e não sabe. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que atualmente 35% da população acima de 40 anos tem hipertensão, isto significa que 17 milhões de brasileiros têm a doença. E não podemos esquecer das consequências da hipertensão como trombose, acidente vascular cerebral (AVC), infarto e problemas renais que engrossam ainda mais as estatísticas de internação hospitalar e óbito. E o grande vilão para que esses números não parem de crescer está bem perto de nós e a maioria das pessoas nem se preocupa com ele, o sal.
O sal não seria nenhum vilão se o seu consumo ficasse dentro dos padrões normais, mas infelizmente a realidade é bem diferente. A quantidade de sal recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) fica em torno de 6g por dia ou 1 colher de chá. Mas uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) mostrou que o brasileiro ingere nada mais, nada menos que 13g por dia, isto é 216% a mais. E o pior sem perceber que consumimos tanto.
Esses dados alertam para que fiquemos mais atentos à quantidade de sal ingerinda. Não podemos esquecer que com a vida que a maioria das pessoas tem, come-se muito fora e tudo tem sal... Por isso, ao ir a um restaurante na hora do almoço, prove antes a comida para ver se precisa de sal. Muitos já abrem o sachet que tem 1g de sal e o esparramam por cima da comida sem a menor cerimônia e isso acaba acostumando o paladar ao sabor salgado. Além do mais, a comida já estando salgada, isso não vai ser tão sentido. E cada vez mais o paladar vai pedir mais sal.

Sal light
E então uma solução seriam as versões de sal light? Teoricamente os tipos de sal chamados de light têm diminuição no conteúdo de sódio e acréscimo de potássio, o que seria benéfico, principalmente para pessoas com pressão alta. Mas não é tão simples, o potássio não salga tanto e muitas pessoas acabam utilizando mais o sal e no final não tem tanto benefício. E outro detalhe bem importante, sempre leia o rótulo do produto antes de comprar. Muitos fabricantes acrescentam um composto chamado de glutamato monossódico, justamente para dar um sabor mais salgadinho a esse tipo de sal. Esse aditivo é sabidamente neurotóxico, isto é, não faz nada bem aos neurônios, por isso fuja de todos os produtos que tem ele na composição. Mas podemos dizer sim que existem boas marcas no mercado, somente leia o rótulo para certificar que está levando realmente um produto de qualidade para casa.
Então vamos a 4 dicas importantes:

1ª) A grande dica é utilizar temperos naturais secos e frescos como orégano, alecrim, manjericão, hortelã, cebola, tomate, etc... porque o seu sabor automaticamente faz com que a utilização de sal seja diminuída. Comece utilizando aos pouquinhos e vá acostumando o paladar a esses deliciosos sabores. E você pode bater seu próprio sal com os temperos secos que goste como orégano, manjericão e alecrim. Guarde na geladeira e vá utilizando em carnes, arroz, feijão etc...

2ª) Escolha um bom sal para se ter em casa. O recomendado é o sal marinho, porque contém pouquíssimos aditivos, o que não acontece com o sal comum;
3ª) Esqueça todos os temperos prontos em cubos ou pós, eles são verdadeiros venenos! Para se ter uma ideia 1 cubo tem a quantidade de sódio que uma pessoa saudável pode consumir durante todo o dia e ainda vem de bônus o glutamato monossódico. Lembre-se sempre de tudo que você come na rua ou em casa que também tem sal e por aí tenha uma ideia que esse tipo de produto não é nada saudável!
4ª) Prove antes a comida e veja se realmente precisa de mais sal! Acostume seu paladar ao menos salgado, seu organismo agradece!
E uma última frase que está no site do Ministério da Saúde e ilustra exatamente o que o sal pode causar:
"SAL AUMENTA A PRESSÃO. NINGUÉM MERECE TRABALHAR SOB PRESSÃO".
Então, cuide-se!

* Patricia Davidson Haiat é nutricionista funcional

Nenhum comentário: