quinta-feira, 26 de maio de 2011

Respirar corretamente: o segredo para prevenir doenças


Cília Monteiro

A respiração costuma ser vista como um ato simples e instintivo, que não passa de necessidade fisiológica. Como consequência, a maioria das pessoas não presta atenção na forma como respira. O que muitos não sabem é que respiram de maneira inadequada e que a correta respiração é essencial na manutenção de um corpo saudável.
— A respiração não é importante só para gerar uma dinâmica respiratória eficaz com uma boa troca gasosa. Ela é fundamental também para evitar problemas infecciosos, seja de sinusite, faringite, laringite ou outros — explica a médica Patrícia Rocco, chefe do Laboratório de Investigação Pulmonar do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF) e professora associada da UFRJ.
Consequências da má respiração
Perda de olfato, doenças do sono e até mesmo hipertensão arterial, dores na coluna e estresse podem ser resultados da respiração incorreta. A respiração pela boca, por exemplo, facilita a incidência de infecções na garganta. “A respiração bucal causa um ressecamento que atinge faringe e laringe, gerando as infecções”, aponta Patrícia.
O nariz filtra o ar inspirado, o que não acontece quando a respiração é feita pela boca. Isso expõe mais ainda o indivíduo aos efeitos da poluição, favorecendo o desenvolvimento de problemas como sinusite e asma. A respiração pela boca também pode alterar o desenvolvimento das estruturas da face, do tórax e do pulmão. “As crianças que têm adenoides apresentam respiração mais oral, então começam a ter protusão dentária”, exemplifica a médica.
De acordo com Patrícia, a respiração bucal é bastante comum entre pacientes com enfisema pulmonar. “Eles respiram fazendo uma espécie de ‘biquinho’, que os auxilia a colocar o ar para fora. Com isso, aumentam a pressão intrapulmonar, diminuindo a limitação de fluxo expiratório, ou seja, limitando o ar que vai sair”, indica a professora. Esses pacientes precisam estar sempre atentos à respiração.
— Toda a dinâmica respiratória é fundamental. Não podemos conviver com problemas nasais, como desvios de septo, que obrigam o indivíduo a respirar pela boca — diz a especialista. Para resolver os desvios de septo é preciso um procedimento cirúrgico.
Tratamento
Segundo Patrícia, a boa respiração requer as vias aéreas superiores completamente desobstruídas. “Problemas nasais, orais (como casos de línguas mais estendidas), lábio leporino e hipotireoidismo, por exemplo, geram problemas respiratórios, que trazem ainda outros problemas”, cita. É preciso buscar auxílio médico para a solução desses casos.
O tratamento da respiração errada deve ser realizado através da cooperação de vários profissionais da saúde. O otorrinolaringologista cuida das causas da obstrução nasal, o ortodontista ou ortopedista dos maxilares atua nas sequelas bucais da respiração bucal, e fonoaudiólogo e fisioterapeuta também contribuem para auxiliar na busca pela correta respiração.

Nenhum comentário: