quarta-feira, 29 de junho de 2011

L.E.R. - Da pena e tinteiro, para o mouse e o teclado


A LER parece que só passou a existir a partir da popularização dos computadores; só se for a sigla porque a coisa é antiga e muito antiga. Na idade média já foi descrita a “Doença dos Escribas”. Mais tarde, em 1985, um médico suíço descreveu o “entorse das lavadeiras” e assim a LER veio caminhando pelo túnel do tempo, recebendo nomes diferentes, sendo alvo de estudos científicos, até que a sigla foi incorporada e passou a dar nome às Lesões por Esforços Repetitivos.
Outro dia alguém disse que estava afastado do trabalho por estar com LER. O termo LER passou a ser utilizado indistintamente como se fosse uma doença, mas LER refere-se ao mecanismo pelo qual ocorrem diferentes tipos de patologias caracterizadas por desconfortos, formigamentos e dores persistentes nos músculos, tendões e nervos podendo também haver, em casos mais adiantados, vermelhidão, inchaço e febre.
Ainda assim, as LER (Lesões por Esforço Repetitivo) e também os DORT (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) podem não ser apenas fruto exclusivo de movimentos repetitivos, mas ocorrer pela permanência de parte do corpo em determinada posição por muito tempo.
O aspecto físico envolvido na repetição dos movimentos ou nos maus hábitos de postura na execução das atividades diárias é determinante, porém outros fatores, como a necessidade de concentração e atenção e os diferentes graus de pressão das empresas sobre seus funcionários, podem contribuir para o aparecimento ou agravamento desses tipos de lesões.
Esforços, vibrações, compressão contra superfícies duras e posições incorretamente sustentadas podem provocar irritação e inflamação nos nervos, músculos ou tendões dando origem a a tendinites, tenossinovites, sinovites, bursites, epicondilites, dedo em gatilho, mialgia e outras, patologias decorrentes de LER/DORT a as partes mais comumente afetadas são as mãos, punhos, braços, cotovelos e ombros.
As LER ou DORT aparecem com maior frequência nas pessoas que trabalham com computadores, como é o caso dos profissionais que operam programas gráficos em escritórios de design ou propaganda, jornalistas, caixas de banco ou supermercados, motoristas que dirigem seguidamente por muitas horas, profissionais de cozinha que usam a faca para cortar grande quantidade de vegetais diariamente, rendeiras e tapeceiros que criam maravilhas nos teares manuais e até donas de casa que se dedicam, entre outras muitas coisas, ao crochê ou tricô.
Uma coisa é certa: se quisermos ter nosso corpo, mente e espírito harmonizados, precisamos mesmo dedicar-lhes atenção e cuidados; parece que dá trabalho e é difícil, mas é apenas uma questão de hábito; muito mais difícil é consertar, depois, os danos que sofremos por negligência.
O número de pessoas vítimas de LER ou DORT cresceu muito e vem preocupando a saúde pública porque podem chegar a incapacitar permanentemente para o trabalho. Atualmente várias empresas já implantaram programas internos com o objetivo de evitar ou diminuir esses casos: são palestras, cursos, alongamentos e treinamentos dados por profissionais de saúde aos funcionários.
É comum que essas lesões instalem-se silenciosa e progressivamente de forma que quando começam a apresentar sintomas pode já ter havido um comprometimento da área afetada. Por isto, a melhor forma de proteger-se contra as LER e DORT é, sem dúvida, a prevenção; essas patologias não são obras da fatalidade e sim resultado de práticas e hábitos que agridem o corpo e que podem ser simplesmente evitados. Veja como:
• A cada 25 minutos de trabalho no computador pare ou mude os movimentos por 5 minutos;
• A cada hora sentado, saia da cadeira e movimente-se por alguns minutos;
• Beba água regularmente ao longo do dia; além de hidratado você vai precisar ir mais ao banheiro o que o obrigará a fazer algumas pausas;
• Procure relaxar os ombros quando sentado e mantenha os pulsos retos se estiver digitando e manipulando o mouse. Apóie as costas na cadeira, que deve estar, aproximadamente, a aproximadamente 100° em relação ao assento.
• Realize pequenas pausas rápidas em qualquer atividade que exerça repetidamente;
• Procure não fazer força nem pressão exageradas de forma repetitiva e freqüente;
• Durante as pausas faça alongamentos para as áreas de seu corpo que estiverem sendo usadas;
• Mantenha as os pés totalmente apoiados no chão ou num suporte;
• Não pressione as pernas contra o assento da cadeira, mantenha-as afastadas para não prejudicar a circulação.
• Digite com os pulsos ligeiramente levantados para não atrapalhar a circulação;
• A distância entre você e o monitor deve ser de 50 cm até 70 cm e a tela deve ficar abaixo da linha reta de sua visão, de 15° A 30°.
Caso sinta, hoje ou em qualquer tempo, sintomas como fadiga, peso, formigamento e ou dor nos membros, procure o médico da sua confiança o mais rápido possível. As LER ou DORT são curáveis, principalmente nos primeiros estágios; procure ajuda e, se possível, pare de praticar a atividade que está causando a lesão até receber o diagnóstico médico.
Este texto é apenas informativo e não pretende diagnosticar ou tratar nenhum dos seus leitores. As informações aqui contidas não substituem o aconselhamento médico profissional para diagnóstico ou tratamento.

Nenhum comentário: