sábado, 18 de junho de 2011

Tai Chi pode ajudar a reduzir dor de osteoartrite de joelho em idosos

http://www.stancka.com.br/artigos_e_materias.php?idA=56

Autora: Dr. Laurie Barclay


Exercícios de Tai Chi podem ajudar a reduzir a dor da osteoartrite de joelho em idosos, de acordo com os resultados de um ensaio clínico randomizado, controlado, prospectivo, com mascaramento simples, publicado na revista Arthritis Care & Research.
Esta disciplina física é um estilo tradicional de artes marciais chinesas utilizando movimentos lentos e rítmicos para promover relaxamento mental e melhorar o equilíbrio, a força e a flexibilidade.
“Tai Chi é uma abordagem mente-corpo que parece ser um tratamento cabível para idosos com osteoartrite de joelho”, declarou o autor principal, Chenchen Wang, médico e MSc, da Tufts University School of Medicine em Boston, Massachusetts, em uma assessoria de imprensa.
"Nossas observações enfatizam uma necessidade de avaliar melhor os mecanismos biológicos e as abordagens do Tai Chi para estender seus benefícios a uma população mais ampla".
A amostra do estudo consistia em 40 pacientes da grande área de Boston que apresentavam osteoartrite de joelho confirmada e sintomática, mas que, apesar disto, estavam em boas condições de saúde.
A idade média foi 65 anos e o índice de massa corpórea médio foi de 30,0 kg/m2. Os pacientes foram alocados, aleatoriamente, em um grupo que recebeu Tai Chi ou em um grupo controle de atenção, e ambos tinham sessões duas vezes por semana, por 12 semanas. A análise foi por intenção de tratamento e as avaliações foram realizadas nas semanas 12, 24 e 48.
A intervenção por Tai Chi consistia em sessões de 60 minutos de duração no estilo Yang, cada uma incluindo 10 minutos de auto-massagem e de uma revisão dos princípios do Tai Chi, 30 minutos de movimentos de Tai Chi, 10 minutos de técnicas de respiração e 10 minutos de relaxamento.
O grupo controle de atenção também possuía sessões de 60 minutos, cada uma consistindo em 40 minutos de informações sobre osteoartrite, recomendações dietéticas e nutricionais e tratamentos adequados para a condição, ou educação sobre saúde física e mental.
Isto era seguido por 20 minutos de exercícios de alongamento da parte superior, do tronco e da parte inferior do corpo, com cada movimento sendo mantido por 10 a 15 segundos.
Após 12 semanas completas de intervenção, a dor no joelho foi, significativamente, menor no grupo do Tai Chi do que no controle, com uma diferença de –118,80 no aprimoramento, a partir da pontuação inicial na escala de dor do Western Ontario and McMaster Universities Osteoarthritis Index (WOMAC) intervalo de confiança de 95%, –183,66 a –53,94; p = 0,0005.
Desfechos secundários de função motora, auto-suficiência, depressão e de estado de saúde para a osteoartrite de joelho também foram, significativamente, melhores no grupo do Tai Chi do que no controle. Não foram observados eventos adversos graves.
As limitações deste estudo incluem casos mais graves de osteoartrite de joelho no grupo controle de atenção, possíveis fatores de confusão não identificados, tamanho, relativamente, pequeno da amostra, mascaramento incompleto e capacidade limitada de generalização, pois as instruções eram dadas por um único mestre de Tai Chi.
“Tai Chi reduz a dor e melhora a função motora, a auto-suficiência, a depressão e a qualidade de vida relacionada com saúde”, escrevem os autores do estudo.
Eles observaram, também, que os componentes físicos do Tai Chi estão de acordo com as recomendações atuais de exercícios para osteoartrite, incluindo a amplitude de movimento e a flexibilidade, o condicionamento muscular e o treinamento aeróbico.
Além disso, eles sugerem que a disciplina mental do Tai Chi pode minimizar efeitos negativos da dor crônica ao melhorar o bem estar psicológico, a satisfação com a vida e as percepções de saúde.

O National Center for Complementary and Alternative Medicine do National Institutes of Health forneceu apoio a este estudo, mas a conclusões são oriundas exclusivamente dos pesquisadores. Os autores do estudo não declararam relações financeiras relevantes.

Nenhum comentário: