sábado, 6 de agosto de 2011

Chás – Conceito e Modos de preparo

http://www.fitoterapia.com.br/portal/index.php?option=com_content&task=view&id=138&Itemid=64
Fonte: Prof. Sylvio Panizza

Em casa, as plantas medicinais podem ser preparadas em sua forma mais popularmente conhecida: o chá. No entanto, ainda há muitas dúvidas na preparação do chá.
Na verdade, a palavra chá é utilizada de uma forma equivocada. O chá propriamente dito é o nome dado à bebida preparada a partir do vegetal chamado Camelia sinensis ou Thea sinensis, mais popularmente conhecido como chá verde. Porém, este nome foi associado de uma forma popular à qualquer bebida feita com água fervente e vegetais.
Os nomes corretos para estes preparados são Infuso e Decocção.
Infusão ou maceração em água quente - conceito
Preparação líquida, onde a água fervente é vertida sobre a erva medicinal fresca ou seca, deixando esta maceração em repouso por tempo determinado.
A infusão em água quente é indicada para ervas que não liberam seus componentes ativos em baixas temperaturas, mas que não podem ser fervidas, pois, dessa forma, podem perder suas propriedades medicinais.
Plantas que possuem compostos voláteis devem passar por este método.
Infusão ou maceração em água quente – modo de preparo
•Separar a medida de 1 colher de sobremesa ou a quantidade prescrita ou indicada da(s) erva(s) a ser(em) macerada(s). (Quando a planta estiver na forma de pó, colocar 1 colher de chá para cada litro de água).
•Medir a quantidade desejada, prescrita ou indicada de água mineral ou filtrada, lembrando que a quantidade de erva não influi na terapêutica.
•Colocar a água no recipiente de aquecimento e aquecer a água até a fervura e desligar o aquecimento.
•Adicionar imediatamente a(s) erva(s).
•Mexer suavemente, com o auxílio da espátula e tampar imediatamente o recipiente, deixando o infuso descansando por 10 a 15 minutos.
•Com o auxílio do coador ou da peneira, coar o infuso, passando-o para o recipiente que será utilizado na administração da preparação, pressionando as ervas com a espátula, de forma que saia o excesso de água retido dentro da erva.
Decocção - conceito
É a fervura por tempo determinado de ervas medicinais frescas ou desidratadas em água ou outro líquido extrator.
Preparação indicada para ervas que não liberam seus componentes ativos em baixas temperaturas.
Não indicada para ervas com compostos voláteis ou com compostos que se degradam em altas temperaturas.
Decocção – modo de preparo
•Separar a medida de 1 colher de sobremesa ou a quantidade prescrita ou indicada da erva a ser decocta. (Quando a planta estiver na forma de pó, colocar 1 colher de chá para cada litro de água).
•Medir a quantidade desejada, prescrita ou indicada de água mineral ou filtrada, lembrando que a quantidade de erva não influi na terapêutica. Geralmente utiliza-se a quantidade de 1 xícara de água.
•No recipiente de aquecimento (vidro, ágata ou porcelana), misturar a(s) erva(s) à água e mexer suavemente, com o auxílio de uma espátula.
•Quando atingir a ebulição (em torno de 100ºC), permanecer em fogo baixo, com o recipiente tampado, por 5 a 7 minutos.
•Desligar o aquecimento.
•Aguardar o resfriamento ou deixar resfriando até atingir a temperatura desejada.
•Com o auxílio do coador ou da peneira, coar o decocto, passando-o para o recipiente que será utilizado na administração da preparação, pressionando as ervas com a espátula, de forma que saia o excesso de água retido dentro da erva.
•Caso seja necessário, o volume pode ser ajustado neste momento.
Possibilidades de uso do infuso e do decocto
O infuso e o decocto podem ser utilizados no preparo de: Bebidas, Gargarejos, Banhos, Cataplasmas, Compressas, Inalações e Lavagens.
Cuidado!!!
10g ervas secas são diferentes de 10 g de ervas frescas!!!
Ervas frescas, por apresentarem maior quantidade de água, têm menor quantidade de ativos e maior concentração de compostos tóxicos se comparadas às ervas secas.
Assim, é preferível a utilização de ervas secas por oferecerem menor risco de intoxicação e maior eficácia farmacológica, com uma dose reduzida.
Cuidados no preparo das ervas secas
- Manter as ervas em sua embalagem original.
- Utilizar o preparado por até 24 horas.
- Antes do preparo, lavar as mãos e os utensílios a serem utilizados.
- A água utilizada nessas preparações deve ser filtrada ou mineral.
- Verificar a dose utilizada para cada patologia, idade, condição fisiológica de cada paciente.
- A quantidade de erva é mais importante do que a quantidade de água utilizada em seu preparo.
- A preparação quente que contenha ervas aromáticas deve permanecer tampada até que esfrie por completo.
- Preferir, para o preparo, utensílios como o vidro, cerâmica, ágata e porcelana que não liberam resíduos tóxicos.
- As ervas podem ser variadas para que organismo não se “acostume”, evitando a redução de sua eficácia.
- As ervas secas não devem ser utilizadas por um período maior do que 3 semanas. Caso queira prolongar o tratamento, consultar um profissional de saúde

Nenhum comentário: