quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Meditação e infertilidade


*por LÍLIAN FUMIE TAKEDA

Em várias áreas da medicina existem grandes avanços tecnológicos, que tem possibilitado diagnósticos mais precoces, utilização de novas técnicas e tratamentos.
Na ginecologia este desenvolvimento no tratamento da infertilidade, proporcionando a realização de um grande sonho, que para alguns casais era até então muito difícil, a oportunidade do tão sonhado filho.
Um fato que deveria ser muito comemorado e trazer grande felicidade, mas o que presenciamos, na maioria das vezes, é uma enorme angústia, ansiedade, apreensão, estresse constante e frustração quando o processo não surte resultado logo da primeira vez, ocasionando maior expectativa nas próximas tentativas.
A necessidade de controlar o incontrolável, como se pudéssemos interferir no processo causa muitas vezes todo o quadro descrito acima, que ao em vez de contribuir para um resultado favorável distancia ainda mais a desejada gravidez .
Filósofos com Epicteto já diziam: "O homem não é perturbado pelos eventos, mas pela visão que tem deles."
Com esta frase em mente surge uma pergunta: como podemos auxiliar e diminuir toda esta carga de sofrimento durante o processo da espera de resultados positivos em relação ao tratamento instituído? Existiria algum modo de trabalharmos neste intuito?
A resposta é sim.
Em primeiro lugar é importante ter a maior clareza quanto as reais possibilidades e quanto ao tratamento a ser desenvolvido, conversando com o médico que está acompanhando o quadro.
Em segundo lugar trabalhar o emocional para que ele não interfira desfavoravelmente e auxilie na melhora do resultado do tratamento.
Podemos ajudar muito com tratamentos auxiliares como a acupuntura, que vem tendo comprovação cientifica, e também com a meditação, ambas técnicas de tratamento da Medicina Tradicional Chinesa.
Durante todo o processo de investigação, diagnóstico e proposta de tratamento notamos uma tensão e expectativa muito grande do casal que busca a realização de um sonho que até então não foi possível. Todo este processo mexe muito com o emocional de cada um dos parceiros e também com o próprio casal; é muito importante a forma como lidamos com as situações novas e de desafios, pois isto facilita ou dificulta a vivência deste momento, trazendo maior ou menor estresse.
Vários trabalhos têm demonstrado que o estresse causa mudanças físicas e bioquímicas, interferindo também nos sistemas cardiovascular, imunológico e endócrino, e isso pode interferir na resposta ao tratamento instituído, principalmente quando não se tem uma causa definida para a infertilidade. Alguns dos fatores que mais ocasionam estresse durante o tratamento de infertilidade, está relacionado como lidamos com nossas expectativas, como vivenciamos os fatos que não dependem exclusivamente de nós mesmo, como percebo a dificuldade de engravidar, quais são minhas cobranças quanto a engravidar enfim, como vivenciamos os momentos que são inevitáveis durante o acompanhamento da infertilidade pois requer perseverança, paciência, pois é um processo de etapas e espera de resultados; o que proporciona maior tensão.
Ao termos a oportunidade de enxergar a importância do caminho e suas fases ao em vez de resultados imediatos e agregamos as vitórias como etapas superadas, começamos a perceber as possibilidades e não a obrigatoriedade de realizações da forma como se deseja, mas da maneira que se é possível e chegamos a resultados mais favoráveis, sem muita interferência dos quadros emocionais desequilibrados que dificultam ainda mais o caminho.
Neste sentido a prática da meditação pode ser uma grande ferramenta para nos auxiliar no trato de quadros de estresse, na melhora da percepção e ação e também ajuda nos nossos processos físicos como a melhora da imunidade; como temos visto em alguns trabalhos que se tem realizado em várias centro de pesquisas.
A meditação é uma técnica que contribui muito para que possamos trabalhar com os medos, as angustias, a ansiedade, trazendo-nos para o presente e não permanecendo nas expectativas de futuro e tristezas do passado. Aprendemos também na meditação a estarmos conosco e a perceber que "tudo passa", que podemos manter no intento manter o foco. Por isto, consideramos a meditação um treinamento que nos auxilia a permanecer no foco e mantermos nossa atenção, com serenidade; possibilitando-nos um maior equilíbrio no trato das situações.
Soren A. Klerkegaard, filósofo dinamarquês nos diz:
"A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás; mas só poderá ser vivida olhando-se para frente". É importante também percebermos que as ações só ocorrem no presente.
Durante o tratamento de infertilidade; muitas mudanças estão ocorrendo com a utilização de hormônios, trazendo alterações corporais; existe uma grande expectativas pelos resultados alcançados em cada fase: ovulação, ovos, implantação e permanência do embrião com manutenção da gestação, e mais hormônios... e principalmente a ansiedade pelos resultados e as expectativas será que está dando certo?!?!...
Nesta situação é importante termos ferramentas que nos auxiliam a permanecer serenos e enfrentar os momentos com tranqüilidade, ajudando nos resultados para que realizemos plenamente o que é almejado. Neste processo a meditação é um grande aliado. E o ideal é que ela seja praticada pelo casal. É importante que ambos estejam bem para alcançar o sucesso no tratamento da infertilidade.

Lílian Fumie Takeda é ginecologista especialista em Medicina Tradicional Chinesa
Cláudia Collucci, repórter da Folha de S. Paulo, é mestre em História da Ciência pela PUC-SP e autora dos livros "Por que a gravidez não vem?", da editora Atheneu, e "Quero ser Mãe", da editora Palavra Mágica.

Nenhum comentário: