segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Sistemas Alimentares

http://www.docelimao.com.br/site/desintoxicante/simplesmente-saude/679-sistemas-alimentares
Comer é realmente um prazer, mas devemos observar se este prazer é somente enquanto sentimos o gosto do alimento ou se este continua durante e após a digestão Nesse ponto, encontramos a diferença entre comer e alimentar-se, pois quando feito de forma alinhada com as necessidades de construção da energia e harmonia metabólica, temos como consequência a saúde em todos os níveis existenciais: física, emocional, mental e espiritual.
É preciso ter o sentimento de coerência de que simplesmente engolir uma comida gostosa, não basta.
• Comer, segundo o dicionário Aurélio, significa introduzir qualquer coisa goela abaixo.
• Alimentar-se, significa nutrir-se.
Precisamos dar ao organismo os elementos necessários para mantê-lo bem vivo, ou seja, bem nutrido. Para isso é preciso que o alimento seja além de gostoso, também saudável.
Entre as diversas linhas de alimentação existentes devemos escolher aquela que mais se adapte a cada um de nós, a cada momento ou ciclo de nossa vida. Lembrando que se você busca: compreender, superar e dar significância à sua vida, ações saudáveis, entre elas as escolhas alimentares, irão gerar corpo, mente, coração e espírito saudáveis.
Classificamos os oito sistemas alimentares encontrados, iniciando com o que é mais grosseiro, ou melhor, o que é constituído de uma alimentação que deixa maior quantidade de impurezas acumuladas no corpo, terminando com o que é mais puro:
1) Carnivorismo e Carniceirismo
Nestes sistemas a alimentação é constituída somente de carnes, sendo que no caso do carnivorismo, o animal mata a presa e come a carne ainda quente e no carniceirismo a carne é devorada quando atinge o estado de putrefação. Exemplo de animal carnívoro: os felinos. Exemplo de animal carniceiro: o abutre.
2) Onivorismo
No onivorismo, os animais comem de tudo: carnes, vegetais e até o que não é alimento (produtos químicos, industriais). Exemplos: porco, avestruz e homem.
3) Cerealismo
Aqui os cereais ocupam o lugar de destaque. É o caso da macrobiótica que é basicamente cerealista, pois os cereais são considerados alimentos equilibrados e o arroz integral o alimento perfeito. Utilizam-se também os legumes e as verduras cozidas; frutas em doses mínimas; os laticínios são abolidos; consomem-se as carnes brancas (o peixe e o frango).
4) Ovo-Lacto-Vegetarianismo
Neste sistema qualquer tipo de carne é eliminada. A alimentação é constituída de frutas, hortaliças, cereais, produtos lácteos e ovos.
5) Lacto-Vegetarianismo
São utilizados frutas, cereais, hortaliças e produtos lácteos. Foi abolido o ovo.
6) Vegetarianismo Puro ou Veganismo
São utilizadas frutas, hortaliças e cereais. Neste sistema alimentar não é utilizado qualquer produto de origem animal e os vegetais podem ser consumidos crus ou cozidos, temperados com condimentos vegetais. Existem várias afirmações através do estudo da fisiologia do ser humano, comparada com a de outros animais, de que somos mais herbívoros do que carnívoros, observando a dentição, o tubo digestivo e o próprio instinto, quando crianças, de rejeitar a carne, nos primeiros meses de vida, dando preferência às frutas, vegetais e cereais. E que muito mais importante do que qualquer teoria é vivenciarmos maior bem-estar e vitalidade, proporcionados pela alimentação saudável.
7) Naturismo ou Crudivorismo
É bom não confundir naturismo com naturalismo, pois este último se preocupa somente em utilizar alimentos integrais, livres de químicos e nem sempre segue a linha vegetariana. Muitas vezes utiliza o frango e o peixe fresco, enquanto que o naturismo consome só hortaliças, cereais e frutas, em sua forma natural, sem cozimento ou sal.
8) Frugivorismo
É a forma mais sutil de alimentação, baseada somente na utilização de frutas, que são alimentos que, além de não deixarem qualquer resíduo no organismo, têm um grande poder depurativo. As frutas são realmente alimentos, pois quando maduras caem no solo e nutrem a própria semente para o nascimento de uma futura árvore. Também o seu perfume e sabor não nos deixam dúvidas quanto ao seu valor alimentício.
Para qualquer dessas linhas de alimentação existem regras gerais comuns que devem ser obedecidas.
Texto extraído e adaptado do livro: Alimentação Light - Ro Kupfer - Editora Ícone

Nenhum comentário: