segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

MEDICINA TRADICIONAL: O FUTURO APRENDENDO COM O PASSADO

A prática da Medicina Natural e Tradicional (MNT) ainda suscita um amplo leque de reações que vão desde o “entusiasmo acrítico” até o “ceticismo desinformado”, reconhece, em Havana, a doutora Martha Pérez Viñas, que sustenta que “devemos encontrar o ponto de equilíbrio que proporcione o benefício social”.
Minha entrevistada, Diretora Nacional de MNT do Ministério de Saúde Pública, revela que as publicações sobre estes temas “são ainda insuficientes”; para tanto, “as pesquisas devem continuar se estendendo”. No que diz respeito a Cuba, é valorizada a garantia de que sejam os profissionais de saúde, cada um dentro da sua especialidade, os encarregados pela prática dessa medicina.
As medicinas tradicionais são diferentes no contexto global, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) utiliza um enfoque amplo e inclusivo em sua definição. Cada país traz suas próprias definições segundo as características locais, históricas e sociais.
Em Cuba – diz Pérez Viñas –, a MNT é uma especialidade de perfil amplo com um enfoque integrador dos problemas de saúde que emprega a promoção, a prevenção, o diagnóstico, o tratamento e a reabilitação de pacientes com diversas modalidades dessa medicina.
Entre tais modalidades, Pérez Viñas cita a fitoterapia, a apiterapia, a Medicina Tradicional Asiática – que inclui a acupuntura e técnicas afins –, a massagem e os exercícios terapêuticos, a homeopatia, a terapia com florais de Bach, a hidrologia médica – que emprega lama, águas minero-medicinais e talassoterapia –, a ozonoterapia e a orientação nutricional naturalista.
Esclarece ainda que existem diferenças no emprego de cada uma dessas modalidades. Na prevenção de doenças ou na busca de uma melhora, recorre-se frequentemente à orientação nutricional naturalista e aos exercícios terapêuticos. Para cura ou tratamentos, são particularmente úteis a acupuntura, a fitoterapia, a apiterapia e a terapia floral; e os reabilitadores também empregam muito a hidrologia médica. A homeopatia também é utilizada internacionalmente em doenças de tipo epidêmico.
É bom lembrar que, nas Medicinas Tradicionais, existe um uso popular transmitido de geração para geração relacionado fundamentalmente com o emprego de recursos naturais (plantas, mel e derivados, águas e lamas), como todo fruto da experiência e da observação.
Também é de conhecimento geral que a quinina é extraída de material vegetal e que esse alcaloide segue sendo útil para o tratamento de muitas formas de paludismo; ou que outro alcaloide, a atropina, empregada em oftalmologia para dilatar a pupila ou como antiespamódico em infecções gastrointestinais, foi descoberta na planta Atropa belladona.
As diversas modalidades de MNT autorizadas em Cuba para uso no Sistema Nacional de Saúde, incluindo os produtos naturais empregados, estão validadas por pesquisadores e aprovadas pelo Birô Regulatório de Proteção à Saúde, porque, levanta a especialista, “são acessíveis, replicáveis, possuem segurança, eficácia e permitem um acompanhamento oportuno em seu controle de qualidade”.
Por isso, a especialista ressaltou a importante contribuição que os meios massivos de comunicação podem trazer para o desenvolvimento desses programas mediante uma divulgação responsável baseada nas experiências cubanas, que se fortalecem cada dia mais com “nossa cienticificidade”, e o aperfeiçoamento do processo de formação de recursos humanos para a prática assistencialista.
A diretora atual da OMS, Margaret Cham, fez um chamado a todos os seus membros para que “juntem medicina tradicional e oriental em formas altamente eficazes no sistema de atendimento básico”. Nosso país passa por esse caminho, garante a doutora Perez Viñas, para isso contamos com a força do sistema nacional de saúde.
A medicina natural e tradicional continua abrindo caminhos no mundo à medida que os cientistas descobrem suas infinitas possibilidades. É como se o futuro estivesse aprendendo com o passado.
JOSÉ A DE LA ROSA - Jornal Granma

Nenhum comentário: