segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Entendendo e praticando Espiritualidade


Fonte / autor(a):
Bete D’Elia e Graciete Cavalcante
Há muito se fala da importância do ser humano se desenvolver em todas as suas dimensões- física, mental, emocional e espiritual – para ser feliz e conquistar qualidade de vida pessoal e profissional.
 Independentemente, dessa abordagem ser defendida por muitos autores de renome, no âmbito nacional e internacional e do discurso já estar presente no mundo corporativo, há ainda uma defasagem muito grande em relação à sua consciência e prática.
 Nos planos físico e mental, as ações são mais visíveis e concretas. Na parte emocional, a trajetória é um pouco menor e na espiritual, quase inexistente.
 Paira no ar uma distorção do verdadeiro conceito de Espiritualidade, confundindo-o com religião. Segundo Brian L. Seaward, não deveria haver essa duvida, visto que espiritualidade é algo inclusivo, enquanto que as religiões tendem a ser exclusivas e baseadas na fé. Aliado a esta percepção errônea, pode-se afirmar que existe ainda um receio de abordar o tema com mais amplitude, como se ele fosse incompatível com o mundo do trabalho, onde o objetivo maior é ter produtividade e resultados.
 Está mais do que na hora de trazer o tema espiritualidade ao nosso cotidiano, como parte das nossas ações e reflexões, e, principalmente, como algo que permeia o dia-a-dia das empresas e dos líderes, facilitando a qualidade dos relacionamentos, o comprometimento da equipe com os objetivos da empresa e resultados.
 Esta é a proposta do nosso Grupo de Estudos: desmistificar o conceito da Espiritualidade, que para muitos é algo inacessível e distante , trazendo-o de forma simples e prática para a nossa realidade.
 Um dos caminhos escolhidos é falar e escrever mais sobre Espiritualidade, mesclando conceitos com atitudes e relacionando-os com os valores e princípios da ABQV, que são:
 “A ABQV entende que a verdadeira Qualidade de Vida se constitui no equilíbrio do ser humano em suas dimensões física, psíquica, social e espiritual, que se reflete diretamente na autorealização e no relacionamento prazeroso consigo mesmo, com o outro e com a totalidade”.
 Conforme Brian L. Seaward “caminhar passo a passo para garantir a saúde do espírito humano é tão importante quanto almejar saúde física. Para algumas pessoas, é até mais essencial, na medida em que o bem-estar espiritual é a base do paradigma da qualidade de vida como um todo”.
 Segundo Barchifontaine, Espiritualidade é respeito ao próximo, solidariedade e pode estar presente no estilo de liderança e no trabalho de equipe.
Podemos ampliar este conceito, agregando o que fala Dalai Lama: A Espiritualidade está relacionada com as qualidades do espírito humano – amor, compaixão, paciência, perdão, noção de responsabilidade e harmonia – que trazem felicidade tanto para a própria pessoa como para os outros.
 Como podemos perceber, praticar espiritualidade é falar da nossa essência de ser humano. É saber como acionar o eixo interno da felicidade e também aprender como ele funciona no nosso próximo.
 Outra forma de exercitar espiritualidade é trazer à tona um de seus pilares básicos, que é o sistema de Valores.
 São os valores que dirigem os nossos comportamentos, como também são os valores da empresa que definem sua filosofia e representam a base da sua missão.
 Logo, falar de algo conhecido como valores, missão, é uma prática de espiritualidade. Tanto pessoal, como corporativa.
 Segundo Jack Welch, no livro Paixão por Vencer “quando a empresa vivencia seus valores, aumenta a satisfação dos empregados e melhora os resultados financeiros”.
 Jack Welch também afirma : “A missão anuncia, com exatidão, para onde a empresa está indo. E os valores descrevem os comportamentos que a levarão até lá”.
 Ao decodificar o conceito de Espiritualidade e associá-lo a nossa realidade, podemos constatar que essa dimensão está muito mais presente na nossa vida e no cenário empresarial do que temos noção e consciência.
 Cabe a nós dar mais visibilidade prática a esse movimento, associando-o ao nosso dia-a-dia.
 De forma gradativa, faremos esse trabalho e usaremos desse espaço, para este gratificante exercício, junto com os demais associados ABQV.
 No próximo artigo, falaremos com mais detalhes dos valores e sua conexão direta com a Espiritualidade.
 Grupo de Estudos de Qualidade de Vida Integral – Foco Espiritualidade na Liderança
 Bete D’Elia e Graciete Cavalcante

Aposte nos hábitos que te dão mais disposição



Comer um café da manhã caprichado e tomar sol são alguns itens da lista
POR CAROLINA GONÇALVES
Você é o tipo de pessoa que acorda de manhã super animado e com a maior disposição, mas chega na hora do almoço já está se sentindo cansado ou muito disperso no trabalho? Isso pode estar acontecendo porque o seu corpo está com o horário de sono "desregulado" ou você não está fornecendo energia o suficiente para ele no decorrer do dia. Felizmente, com adoção de alguns hábitos simples, você pode gozar de uma super disposição o dia inteiro e aproveitá-lo muito mais
Café da manhã caprichado
O nutrólogo Roberto Navarro, de São Paulo, explica que a primeira refeição do dia deve ter pelo menos 25% do valor energético total de um dia todo. O ideal é que sejam evitados pela manhã alimentos com alto índice glicêmico, como açúcares, doces, pães, bolachas, biscoitos recheados e bolos, pois eles podem levar a uma queda súbita da glicose sanguínea e provocar dificuldade de concentração, fadiga mental e até irritabilidade. "Por isso, não seria interessante abusar desses alimentos citados, salvo quando 'integrais', pois esses têm menor índice glicêmico", diz Roberto.
O café em pequenas quantidades (até 1 xícara de chá) pode melhorar a disposição e a atenção. Já alimentos muito gordurosos não são recomendados por exigirem um maior trabalho na digestão e, consequentemente, dar a sensação de "cansaço". O café da manhã perfeito deve conter cereais integrais, frutas, oleaginosas e alguma proteína, como iogurte natural, queijo branco ou peito de peru.
 Levante-se e movimente-se
Um estudo feito por pesquisadores da California State University, em Long Beach (EUA), afirma que fazer uma caminhada de 10 minutos te deixa acordado e com mais energia por até duas horas. Isso se dá porque a caminhada fornece mais oxigênio para nosso cérebro e músculos, deixando-os "ligados" por mais tempo.
Se você trabalha em um escritório, levante-se e faça pequenas caminhadas durante o dia, como ir até o restaurante para comer. Isso fará com que você se sinta mais alerta e refrescado. O clínico geral Felippo Pedrinola conta que essa prática promove a redução do estresse crônico e possibilita interações com outras pessoas e situações, contribuindo para o bem-estar. 
Hidrate-se
"Uma boa hidratação é essencial para melhorar a disposição física e mental", diz Roberto. A recomendação é de dois litros de água por dia. Porém, Roberto alerta que, durante uma refeição, não devemos ingerir mais de 200 ml de líquidos, pois acima disso há uma diluição do suco gástrico, o que prejudica a eficiência digestiva.
Tome um pouco de sol
A liberação de alguns hormônios como cortisol e melatonina é regulada em horários específicos no decorrer do dia e sofre sim influência da luz do sol. "Ter a percepção correta de manhã, tarde e noite é fundamental para a regulação hormonal e o bem estar físico e mental", afirma Roberto Navarro.
Dê um descanso aos olhos
Para aqueles que trabalham com computador ou constantemente lendo algum documento, saibam que a fixação contínua - seja na tela ou em um leitura - pode causar fadiga visual e piorar a sonolência e o cansaço. Desviar o olhar do trabalho por alguns minutos periodicamente, para relaxar, é uma boa pedida.
Respire
A respiração profunda aumenta os níveis de oxigênio do sangue no corpo. Isso diminui a frequência cardíaca, regula a pressão sanguínea e melhora a circulação, auxiliando o desempenho mental e energético. O clínico geral Filippo Pedrinola conta que um bom exemplo de exercício do tipo são os chamados mini-relaxamentos de respiração.
Antes de fazer aquela ligação difícil ou entrar numa reunião pesada, feche os olhos e inspire lentamente contando até 4, prenda a respiração por 2 segundos e expire contando até 4. "Faça isso por cinco minutos quantas vezes quiser, procurando respirar menos de 10 vezes por minuto", diz o clínico.
Converse um pouco: se você sentir que está ficando cansado ou com falta de concentração, experimente conversar com seu colega da mesa ao lado. Uma conversa descontraída pode fazer sua mente funcionar novamente. Pesquisadores do Instituto de tratamento do sono Maimonides Sleep Arts & Sciences afirmam que conversar com um colega sobre uma ideia de negócio, política ou religião é um estimulante muito forte de comportamento - especialmente quando é uma conversa sobre política.
Saia da rotina
O clínico geral Filippo Pedrinola explica que a mudança da rotina, nem que seja de pequenas coisas, pode estimular novas conexões cerebrais. Esse fenômeno é conhecido como neuroplasticidade e ajuda nossa mente a ficar mais alerta.
Faça um lanchinho
Devemos nos alimentar a cada três horas em média para evitar queda de glicose no sangue e prejudicar nossa concentração e disposição física. "Se você sentir-se cansado ou disperso e estiver mais que três horas sem ter se alimentado, vale recorrer a um lanche mais leve, como fruta, iogurte ou barra de cereais", diz Roberto.