quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Terapias Holísticas e a Menopausa

http://www.docelimao.com.br/site/sindromes-do-feminino/286-terapias-holisticas-e-a-menopausa
Texto extraído, resumido e adaptado do livro Vença a Menopausa sem TRH - Maryon Stewart - Editora Paulias
Capítulo 14
A medicina holística estuda a pessoa como um todo: a mente, o corpo e o espírito, e como eles interagem. Assim, tanto quanto lidar com os sintomas no plano nutricional, também é importante estar segura de estar funcionando num nível ótimo em tudo. Os anos durante os quais você sofreu como resultado de não estar se alimentando de forma correta, estar grávida ou amamentando, lidar com situações estressantes e, talvez, até com sintomas pré-menstruais antes de sua menopausa, podem perfeitamente cobrar seu preço. O corpo é um complicado, mas delicado emaranhado de ossos, músculos, ligamentos, nervos, órgãos e vasos sanguíneos. Os sintomas físicos e a tensão nervosa podem afetar o suave funcionamento dos processos do corpo. Se seus sintomas forem intensos, antes de e quando começar uma nova prática nutricional, você deve considerar a possibilidade de submeter-se à acupuntura, acupressão, fitoterapia, aromaterapia ou osteopatia craniana como meios de apressar o seu processo de recuperação. Essas são ferramentas poderosas que poderão ajudá-la a conseguir um rápido alívio dos sintomas e resgate da qualidade de vida.
Acupuntura
A Medicina Tradicional Chinesa (MTC) pode ser útil no tratamento dos problemas de saúde femininos. De acordo com a intensidade do problema, existem dois níveis nos quais o tratamento pode ser feito. O primeiro é adequado para quem tem sintomas intensos e envolve a procura de um acupunturista. Muitos dos problemas mencionados, incluindo as ondas de calor, a insônia, a depressão, as dores e mal-estares, mudanças de humor e dores de cabeça, podem perfeitamente responder ao tratamento pela acupunlura. O segundo nível envolve a acupressão, descrito adiante. Para que haja uma saúde plena, a medicina chinesa trabalha a partir da premissa de que a energia universal conhecida como chi, que tem duas qualidades complementares conhecidas como o yín e o yang, deve estar em perfeito equilíbrio. O termo yin abrange o princípio feminino — o frio e o estado de descanso —, enquanto o yang abrange o princípio masculino — o calor e a atividade. Esses princípios são ativos num grau apropriado, tanto nos homens como nas mulheres. Quando este equilíbrio sofre interferências, o resultado é a doença.
Concomitantemente ao seu histórico, o médico chinês irá medir sua pulsação em seis pontos diferentes em cada um dos pulsos para ter uma medida de cada um dos doze órgãos vitais do corpo. Sua língua também será inspecionada, uma vez que sua textura reflete a condição dos órgãos vitais.
A acupuntura faz uso de agulhas de aço inoxidável que são inseridas em pontos específicos, ou meridianos, de modo a afetar a energia que flui para um órgão. As agulhas, que permanecem no lugar por cerca de 20 minutos, não causam realmente dor: dão um comichão e causam uma leve sensação de dor ou calor. O tratamento muitas vezes atinge partes onde a medicina ocidental encontra dificuldade de acessar.
Acupressão ou Shiatsu
Um segundo nível de tratamento, mais adequado para problemas menores ou ocasionais que, por vezes, você pode aliviar por auto-avaliação ou com um tratamento caseiro, é o shiatsu, o método japonês que utiliza a pressão dos dedos, por vezes chamada de acupressão. Nesse sistema, o corpo é influenciado de várias maneiras pela estimulação de pontos-chave encontrados ao longo dos canais de energia que circulam próximos à superfície da pele. Estes são os mesmos meridianos da acupuntura, mas os pontos são estimulados pela pressão dos dedos em vez das agulhas.
Para que o shiatsu seja eficaz, é importante fazer o tipo de pressão correta pelo período de tempo adequado. Não é bom fazer pressão como se fossem “botões mágicos”, pois desde que adote o modo certo de tocar, o shiatsu pode ser de grande ajuda, quer você procure o auxílio de um profissional, amiga ou o faça em si mesma.
A menopausa é considerada uma desarmonia energética do chi do rim. Os rins são a base do yin e do yang, responsáveis pelos estágios do desenvolvimento e do declínio humano. Assim, é importante fortalecer os rins e harmonizá-los com o coração. Considera-se um pouco como o fogo e a água e, como a água declina na época da menopausa, o fogo começa a fulgurar: daí a razão das ondas de calor, por exemplo.
O livro ensina como se auto-massagear para trabalhar a: - Depressão e ansiedade, - Insônia e dores de cabeça, - Ondas de calor.  
Fitoterapia
Fito significa plantas e os medicamentos à base de ervas são mais antigos e mais onipresentes do que qualquer outro tipo de medicação sobre a terra. São tão velhos quanto o alimento e as pessoas, e não existe lugar que tenha sido habitado por pessoas e plantas que não tenha sua própria medicina à base de ervas. A grande maioria de plantas medicinais em uso atualmente foi descoberta por caçadores-colhedores, de forma que precederam a própria história. Existem boas evidências de que, em todas as sociedades antigas a responsabilidade pela colheita e estudo das plantas medicinais era das mulheres. Assim, talvez possamos confiar que, ao menos no que diz respeito à menopausa, foram as mais necessitadas que acabaram por descobrir remédios para si mesmas.
Enquanto a fitoterapia procura tratar sua condição presente, ela leva em consideração sua história passada, desde quando você nasceu, e sobre a saúde de seus pais no momento em que você foi concebida. Dessa forma, ainda que seus sintomas sejam os mesmos que os de seu vizinho, a prescrição para você dificilmente será a mesma. Em outras palavras, enquanto estamos todos sujeitos às mesmas leis biofísicas, cada um de nós tem um perfil único tecidual, e, portanto, o tratamento precisa ser único.
Quando voltado aos sintomas da menopausa, o especialista em ervas irá tratar do ciclo menstrual: afinal de contas, a glândula pituitária e o hipotálamo ainda estão funcionando, independentemente da queda nos níveis de estrógeno. Sua abordagem respeita ainda o ciclo menstrual, e os remédios à base de ervas objetivam restaurar o comportamento cíclico. O fitoterapêuta quer manter o eixo adrenal e restabelecer a sensibilidade do órgão visado, uma vez que este é responsável pela dificuldade da mulher na menopausa com o controle do calor, por exemplo. A meta é capacitar o corpo da mulher a transformar o calor em energia, tratando principalmente de seu fígado.
A receita que você irá receber consistirá numa combinação de algumas ou de muitas ervas diferentes. Algumas vezes você terá de ingeri-las em horas diferentes do dia e, ocasionalmente, ervas para épocas diferentes do mês, dependendo de você estar na peri ou na pós-menopausa. Algumas das ervas utilizadas na receita são muito conhecidas como sálvia, verbena, erva-de-são-joão, raiz falsa de unicórnio, lúpulo e calêndula francesa.
Embora a fitoterapia não possa reivindicar o começo da regeneração dos ossos - a meu ver, não existem estudos que demonstrem esse fato - ela demonstrou que pode acelerar a recuperação de ossos quebrados e também ajuda na absorção dos minerais pelo trato digestivo.
 Homeopatia
A homeopatia é uma abordagem de tratamento que pretende ajudar a natureza no seu próprio processo curativo em vez de ignorá-la completamente. Como outros tratamentos holísticos, ela trata cada pessoa como um indivíduo. Um homeopata treinado faz um histórico extremamente minucioso antes de sugerir o remédio mais indicado. É um tratamento preventivo muito suave e que trabalha melhor em parceria com uma dieta saudável e com mudanças no estilo de vida.
Muitas pessoas usam regularmente remédios homeopáticos para se tratar de qualquer coisa, desde tosses e resfriados a problemas menstruais. Os remédios estão à disposição em toda parte, com preços razoáveis. Algumas vezes faz-se necessário o ensaio e erro até que você encontre o remédio adequado a você, mas vale a pena ser persistente.
O Dr. Andrew Lockie e o Dr. Nicola Geddes escreveram um excelente livro de referência chamado The Women's Guide to Homeopathy [Guia de Homeopatia para Mulheres]. Ambos acreditam que os problemas da menopausa representam desequilíbrios que estão presentes em seu corpo há muito tempo. Da mesma forma que recomendam os remédios homeopáticos, também sugerem que as mulheres revejam sua dieta, façam exercícios e corrijam quaisquer sintomas de TPM juntamente com o desenvolvimento de uma atitude positiva de aulovalorização, antes que a menopausa instale-se.
Existe homeopáticos específicos adequados a cada quadro de sintomas e um homeopata experiente poderá ajudá-la a decidir qual o remédio é mais indicado e adequado às suas necessidades. A sépia e o sulphur são apenas dois dos muitos remédios que podem ser indicados para as ondas de calor e os suores notumos. Há uma vasta gama de escolha de remédios para memória, depressão, insônia, ansiedade, irritabilidade, dores de cabeça e confusão - na verdade, a lista é quase interminável.
Osteopatia Craniana ou Terapia Crânio-Sacral
Não é incomum que, durante o ir e vir da vida cotidiana, ocorram problemas sutis nas costas ou no pescoço. Já vi muitas dores de cabeça, resistentes e duradouras, curadas pela manipulação de um osteopata. Certamente vale a pena marcar um check-up com um osteopata credenciado se você sentir que a tensão em suas costas ou pescoço está se tornando demasiada, ou caso você sofra de dores de cabeça frequentes.
A osteopatia craniana, ou a terapia crânio-sacral, como também é conhecida, é uma forma especializada de osteopatia; é suave e, ao mesmo tempo, poderosa. A meta é manipular delicadamente os músculos, tendões, articulações e tecido conectivo para restabelecer suas funções corretas e aliviar as restrições, com isso restaurando a circulação normal, o fluir das energias e das secreções glandulares.
A osteopatia craniana trabalha sobre dois princípios básicos: primeiro, que a estrutura pode afetar a função e, segundo, que o enfraquecimento da estrutura ou a reduzida mobilidade afetarão o fluxo sanguíneo. Este é de suprema importância na osteopatia e o tratamento busca a melhora da circulação local e a liberação dos terminais nervosos.
Tudo no corpo move-se segundo o ritmo craniano, que é o ritmo de nosso sistema nervoso central. É um movimento como o da respiração, constante e ininterrupto, mesmo quando dormimos. O movimento ajuda o fluir do sangue em geral, diminuindo a circulação local depois de um trauma. Se houver restrições nos tecidos lisos, como os músculos, na fascia ou nas membranas, então o sangue, a linfa e o fluido espinal cerebral ficam represados, diminuídos; como resultado, a nutrição dessas áreas fica afetada. E, no caso de problemas hormonais, a circulação é vista como um fator muito importante.
AROMATERAPIA
Ver texto da Aromaterapêuta Milene Siqueira: O Ciclo do Feminino
Conclusões da Maryon Stewart
Seja qual for a terapia holística que você escolher, é importante colocar-se nas mãos de um profissional qualificado. Hoje em dia, todas as terapias reconhecidas como "complementares, alternativas ou holísticas" têm associações oficiais que mantêm registrados os profissionais qualificados. O melhor é checar sempre, uma vez que há, infelizmente, muitas pessoas não qualificadas que não devem ser recomendadas.
A abordagem holística na prática
A partir de nossa pesquisa na Woman's Realm (Inglaterra) com 500 mulheres, estamos aptos a dar uma visão mais próxima sobre quais os tipos de terapias alternativas que as mulheres acabaram preferindo e quais os índices de sucesso alcançado. Como você poderá ver na tabela abaixo, mais mulheres sob TRH fizeram uso das terapias alternativas do que as que não estavam fazendo TRH: 75% das que não se utilizavam de TRH tentaram uma ou mais terapias, comparadas com 80% das que usaram TRH. Como mais de 67% de nossa amostragem experimentou efeitos colaterais com TRH, é compreensível que elas tenham, então, buscado uma ajuda alternativa. A única conclusão a que pudemos chegar é de que muitas mulheres estão tentando terapias mais naturais e não agressivas.
AS TERAPIAS ALTERNATIVAS USADAS PARA TRATAMENTO

Terapias
240 Mulheres

NÃO usuárias TRH
254 Mulheres

usuárias TRH
Benefícios nas
NÃO
usuárias TRH
Benefícios nas

usuárias TRH
Ortomolecular
60%
57.5%
80%
74%
Dieta Alimentar
42%
47%
74%
65%
Homeopatia
10%
14.5%
62.5%
51.5%
Fitoterapia
12.5%
14%
60%
66%
Acupuntura
4%
5.5%
33%
36%
Ioga
9%
10%
68%
62%
Reflexologia
4%
6%
40%
47%
Outras
11%
7.5%
92%
68%
Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citada a autora e fonte.

Médicos na Índia usam vinagre para detectar câncer

Os exames citológicos tradicionalmente usados para detectar a presença de células causadoras de câncer cervical são caros e requerem equipamentos especializados. Por isso, médicos indianos estão usando um método alternativo que tem por base um material inusitado - ácido acético, ou vinagre comum.
O método - desenvolvido por cientistas da Universidade Johns Hopkins e de outras instituições - está sendo usado em lugares como a aldeia de Dervan, no estado de Maharashtra, onde os médicos improvisaram uma clínica temporária em uma loja vazia.
Ele consiste em recolher, com a ajuda de uma espécie de cotonete com vinagre, material do colo do útero das pacientes. Se o vinagre fizer o material recolhido ficar branco ou amarelado, há indícios da presença de células pré-cancerígenas.
Em países como os EUA, o câncer cervical costumava matar mais mulheres do que qualquer outro câncer. Hoje, porém, praticamente não há mortes em muitos países desenvolvidos graças ao exame conhecido como Papanicolau - que permite a detecção precoce e tratamento da doença.
Na Índia, no entanto, dezenas de milhares de mulheres ainda morrem todos os anos de câncer cervical. "Não é possível para nós oferecer o exame (Papanicolau) de forma tão frequente como no Ocidente", diz Surendra Shastri, do Tata Memorial Hospital em Mumbai.
A análise do Papanicolau requer um time de especialistas bem treinados e um laboratório bem equipado, mas muitas regiões da Índia não têm nem um, nem outro. "Então, o que podemos fazer?", Shastri questiona. "Não podemos deixar que as mulheres morram."
Resistência
Os exames com vinagre são uma resposta relativamente simples e barata a esse dilema. Eles estão sendo feitos como parte de um projeto do Tata Memorial Hospital, de Mumbai, e do Hospital Walawalkar, de Dervan, dirigido pela médica Suvarna Patil.
Patil diz que quando o teste "alternativo" foi levado para as aldeias, onde passou a ser oferecido gratuitamente, as mulheres indianas não pareciam estar interessadas.
Muitas achavam o exame incômodo e constrangedor, e um amplo trabalho de conscientização teve de ser implementada  para quebrar sua resistência.
Profissionais da área de saúde visitaram diversas casas com seus computadores e apresentações de PowerPoint - em um país em que, contraditoriamente, há ampla disseminação de alguns equipamentos tecnológicos, mas a qualidade dos serviços básicos ainda é precária.
Cartazes foram espalhados em ruas e praças e encontros foram realizados com líderes comunitários e estudantes.
Estratégias
Ainda assim, como contou Patil, as mulheres não pareciam convencidas da importância do exame.
Uma tripla estratégia ajudou a arrefecer essa resistência.
Primeiro, uma equipe feminina de médicas e enfermeiras foi destacada para fazer os exames.
Segundo, essa equipe passou a oferecer não apenas o teste para detectar o risco de câncer de colo do útero, mas também um check-up total das pacientes, medindo sua pressão arterial, avaliando problemas dentários e ajudando a detectar diabetes e outras doenças que preocupam bastante as mulheres da região.
Para completar, os homens também passaram a ser recebidos para um check up - e o apoio masculino foi um fator essencial para que as mulheres comparecessem a esses postos de saúde improvisados.
Essas estratégias ajudaram a causar uma mudança de atitude, que também foi impulsionada pela gradual disseminação de uma percepção positiva sobre os resultados dos exames.
Segundo Patil, pouco a pouco, as indianas começaram a perceber que ele realmente estava ajudando parentes e conhecidos a vencer o câncer.
"Elas começaram a ver os resultados. Entenderam que se o câncer é detectado em estado precoce o paciente se recupera bem", disse a médica.
"Agora, as pessoas estão vindo até nós para pedir que façamos o exame em grupos de mulheres de uma ou outra região."
* Programa co-produzido pela BBC e a rádio pública americana PRI.