terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Dinheiro só traz felicidade se comprar experiências, e não bens materiais

Elaine Bible
Conexões sociais e vitalidade
Será que o dinheiro pode nos fazer mais felizes se nós o gastarmos nas compras corretas? Um novo estudo sugere que são as experiências do ato de comprar, e não a posse material daquilo que se compra, que leva a uma maior felicidade, tanto para o comprador, quanto para as pessoas à sua volta.
O estudo demonstra que uma compra que produz uma experiência, como uma refeição ou ingressos para um teatro, resultam em um aumento de bem-estar porque ela satisfaz necessidades de ordem elevada, especificamente a necessidade por conexões sociais e a vitalidade, um sentimento de se estar vivo.
Atendendo a necessidades psicológicas
"Estas descobertas dão suporte a uma extensão da teoria das necessidades básicas, que estabelece que as compras que aumentam a satisfação de necessidades psicológicas irão produzir um maior bem-estar," explica Ryan Howell, professor de psicologia da Universidade Estadual de São Francisco (EUA).
Durante a pesquisa, foi pedido aos participantes para escreverem reflexões e responder questões sobre suas compras recentes. Os participantes indicaram que as chamadas "compras experienciais" representavam uma forma melhor de gastar o dinheiro e maior felicidade para eles próprios e para os outros à sua volta. Os resultados também indicam que a experiência produz mais felicidade qualquer que seja a quantia de dinheiro gasta ou a renda do consumidor.
Não é o dinheiro, é o "experimentar algo" que traz felicidade
As experiências também levam a uma maior satisfação a longo prazo. "Experiências compradas oferecem uma memória capital," diz Howell. "Nós não tendemos a ficar entediados com memórias felizes como ficamos com objetos materiais."
"As pessoas continuam a acreditar que mais dinheiro as fará mais felizes, mesmo que 35 anos de pesquisas venha mostrando o oposto," diz Howell. "Talvez essa crença se mantenha porque o dinheiro está fazendo algumas pessoas felizes por algum tempo, pelo menos quando elas gastam o dinheiro em experiências de vida."

Nenhum comentário: