segunda-feira, 10 de junho de 2013

A eficácia do Tai Chi Chuan

Realizada na maioria dos hospitais e clínicas da China, a técnica do Tai Chi Chuan combina movimentos suaves, respiração profunda e meditação

Texto: Cristina Almeida 

Os exrcícios do Tai Chi Chuan requerem contração e relaxamento e determinadas partes do
Existem muitas lendas sobre as origens do Tai Chi Chuan, que datam do século XII a.C. A mais famosa delas é a história do monge chinês taoista chamado Chang San Feng. Hábil em várias artes marciais, ele sonhava em agregar princípios filosóficos às técnicas corporais de luta e autodefesa. A partir da observação de animais como o tigre, o dragão, o leopardo, a cobra e a garça (gru), o monge notou que os dois últimos eram muito mais hábeis na superação de oponentes fortes e ágeis. A partir daí, desenvolveu uma série de exercícios físicos que imitam seus movimentos, tidos como capazes de estimular a integração do ser humano por meio do fortalecimento físico, do equilíbrio emocional, da flexibilidade do corpo e clareza mental, bem como do desenvolvimento do discernimento entre o bem e o mal e do caráter pessoal.
Por que é benéfico?
Para os chineses, o Tai Chi Chuan permite o fruir da energia vital Qi (ar/força) por todo o corpo, equilibrando as forças opostas da natureza conhecidas como Yin e Yang. Para a saúde, essa harmonia energética é benéfica de várias maneiras, uma vez que a prática fortalece ossos, músculos, tendões, metabolismo, além de garantir o bom funcionamento de todos os sistemas orgânicos, aumentar a capacidade pulmonar e estimular a circulação sanguínea. Há ainda melhora do equilíbrio e proveito psicológicos, que resultam no controle das emoções e mais concentração, respostas imediatas dos exercícios respiratórios e do foco exigido para a realização de todas as séries de movimentos.
Cuidados prévios
Embora considerado seguro, inclusive para os idosos, se praticado de forma excessiva u sem supervisão, o Tai Chi pode causar torções e dores musculares. Gestantes devem iniciar após o terceiro mês de gravidez, e requerem acompanhamento de um instrutor. Pessoas com hérnias, problemas articulares, dores nas costas, torções, fraturas ou osteoporose grave devem ser consultadas antes do início dessa prática. Segundo a professora Ângela Soci, diretora da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan (SBTCC), a técnica possui apenas uma contraindicação: indivíduos que sofrem de distúrbios mentais ou estejam em tratamento com remédios controlados. Além disso, por ser considerada uma prática de baixo impacto, pesquisas científicas mostram que ela é benéfica para pessoas que sofrem com diabetes, doenças reumáticas, osteoporose, doença de Parkinson, doenças cardiovasculares, dor crônica, depressão, além de prevenir quedas.
5 vantagens para quem pratica
1. Flexibilidade e força: Os exercícios requerem contração e relaxamento e determinadas partes do corpo, diminuindo a sensação de fraqueza e fortalecendo os músculos. A falta de flexibilidade e o enrijecimento muscular podem ser a causa da muitas dores e limitações. A prática ajuda a coordenar os movimentos corrigindo essas dificuldades.
2. Menos estresse: Durante os exercícios é preciso se concentrar na respiração e nos movimentos, e essa atitude ajuda a acalmar as emoções e a mente, promovendo uma sensação de bem-estar geral.
3. Melhora da postura: Ombros e costas são constantemente solicitados para o alinhamento da coluna durante os exercícios. E esses movimentos naturalmente estimulam a manutenção do alinhamento da coluna vertebral, evitando possíveis dores nas costas ou no pescoço.
4. Aumento da capacidade respiratória: O ritmo respiratório que se impõe durante os exercícios leva a um estado mental e físico que estimula a circulação sanguínea. O resultado é mais oxigênio no cérebro e nos músculos.
5. Estímulo do sistema imunitário: A prática melhora e harmoniza os órgãos, fortalecendo todos os sistemas, mantendo o praticante saudável e capaz de superar doenças como gripes, além de prevenir doenças degenerativas

Nenhum comentário: