sábado, 6 de julho de 2013

Água para combater doenças

Descubra se é realmente necessário consumir dois litros de água diários, conheça os diversos tipos e qualidades disponíveis no mercado, aprenda a melhor maneira de armazenar e entenda o que dizem os rótulos

Texto: Fernanda Almeida
Você toma pelo menos 2 L de água por dia? Se sua resposta foi não, fique tranquilo, talvez você realmente não precise de toda essa quantidade diária. Pelo menos foi isso que revelou um estudo recente publicado pelo site do Jornal de Medicina Britânico. Segundo a pesquisadora Margaret McCartney, ingerir a bebida quando não se está com sede pode trazer uma série de prejuízos ao corpo, como explica o gastroenterologista Ricardo Portieri, do Hospital Bandeirantes (SP): “O consumo excessivo de água pode levar à baixa concentração de sódio no sangue, chamada de hiponatremia, ou à sobrecarga renal”. O clínico geral Paulo Olzon, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), concorda: “Ninguém precisa ficar atento à quantidade de ar que respira. Com a água devemos ter a mesma relação. O corpo pede quando sente necessidade; é para isso que sentimos a sede, para satisfazer uma necessidade momentânea e repor os líquidos que perdemos na urina e no suor, por exemplo”. Definir uma quantidade de água a ser ingerida por dia é equivocado, já que isso varia de acordo com idade, sexo, peso, atividade física, clima e até mesmo a genética de cada um.
Descubra o poder dos líquidos
Refresca e faz bem
Todos os seres vivos podem e devem tomar água, pois o corpo humano é composto por 70% desse líquido. “Repo-lo por meio da água potável ou de alimentos é fundamental para a manutenção do volume de líquido corpóreo, controle da temperatura corporal, transporte de nutrientes pelo corpo, digestão de alimentos e eliminação de substâncias não utilizadas. Uma pessoa sobrevive sem se alimentar por muitos dias, mas sem hidratação pode morrer em poucos dias”, afirma Camila Torreglosa, nutricionista do Hospital do Coração (HCor – SP). Talvez você já tenha reparado que existe uma infinidade de opções de tipos de água nas prateleiras de supermercado. Segundo Camila, todas as águas possuem pH neutro e contêm minerais (flúor, cálcio, cloro, enxofre, ferro, magnésio, manganês, potássio e sódio) e oligoelementos (cádmio, cromo, cobre, chumbo, mercúrio, selênio). “Isto vai depender muito de sua origem na natureza, já que os elementos que encontramos na água são, em sua maioria, provenientes de recursos naturais comum nas rochas e sedimentos subterrâneos. Um fator fundamental para a saúde é comparar e escolher a água cujo rótulo indica baixa quantidade de sódio por litro”, sugere a nutricionista.
Água para prevenir e tratar doenças
A água potável ajuda a tratar problemas de saúde como a desidratação, a diarreia e o cálculo renal. Os tipos enriquecidos, natural ou artificialmente, têm propriedades terapêuticas:
 Ácida : esse tipo regulariza o pH da pele.
Alcalina Bicarbonatada: para doenças estomacais: gastrites e úlceras gastroduodenais, hepatite, diabetes e doenças cardiovasculares.
Alcalina Terrosa: para acidez estomacal e hidratante para a pele.
Alcalina Terrosa Cálcica: boa para o raquitismo e colites e consolidação de fraturas. Reduz a sensibilidade em casos de asma, eczemas, dermatoses e bronquites. Tem ação diurética.
Alcalina Terrosa Magnesiana: indicada nos casos de enterocolite crônica, insuficiência hepática e fermentação intestinal.
Carbogasosa: diurética e digestiva. Rica em sais minerais, repõe a energia dos atletas, facilita o trânsito intestinal e estimula o apetite. Eficaz contra hipertensão arterial, cálculos renais e de vesícula.
Carbônica: hidrata a pele e é também capaz de reduzir o apetite.
Ferruginosa: indicada para diferentes tipos de anemia, parasitose, alergias e acne juvenil. Estimula o apetite.
Radioativa: diurética, dissolve cálculos renais e biliares, além de favorecer a digestão. Atua como calmante, contra reumatismo, filtra o excesso de gordura do sangue, elimina ácido úrico, diminui a viscosidade do sangue, tem ação analgésica nas afecções renais, é estimulante glandular e da sexualidade. Diminui a pressão sanguínea e é laxante.
sulfurosa – indicada para casos de reumatismo, doenças de pele, artrite e infl amações em geral.

Nenhum comentário: