terça-feira, 9 de julho de 2013

Saúde: O Mundo Subatômico, Relativista e Holográfico.

Por Claudia Gruntsoki de Oliveira e colaboradores
O estudo científico é, e sempre será, uma forma evolutiva, a fim de solidificar acontecimentos, fatos e idéias em qualquer área de estudo, perfazendo todo o nosso contexto histórico. Há a necessidade do homem estar sempre atento as novidades, quer seja para aceitá-las ou refutá-las... Mas sempre levando em conta que temos O PODER de ter o privilégio de aceitação ou condenação. Reconhecer e conhecer são os primeiros passos para uma ciência sadia.
Nos tempos atuais o acesso a informação é muito fácil, é on-line! Tanto que, os pacientes já chegam a nossos consultórios com informações, das quais, em vezes, nem temos conhecimento! Mas com certeza, temos como ética e dever profissional averiguá-las!
Fica inevitável aos profissionais da saúde um olhar à física de partículas elementares, pois quando falamos de Enegia Vital na psicossomática, psicologia corporal, hipnose e psicologia transpessoal, o modelo cartesiano aplicado as ciências, deixa a desejar, abrindo assim, espaço para o paradigma dos contextos, onde tudo está interligado, quer seja nos confins subatômicos, quer seja nos confins de um mega universo que tão pouco conhecemos.
Assim, a organização de como nos reportamos à observação do ser em relação com o objeto se torna um contexto, onde sou parte de mim mesma, tanto quanto um objeto para o outro, pois “...nenhum homem é uma ilha, inteiramente por si, todo o homem é um pedaço do continente, uma parte principal...” (Silvana Fonseca).
O estudo do aparelho psíquico nos faz sempre pensar como a ciência está baseada em fatos e evidências, e como ela nos trouxe um universo evolutivo através da observação, tanto quanto nossas formas perceptivas não nos permitem vislumbrar ainda a realidade e localização das emoções e sua trajetória, e o quanto as emoções interferem intimamente no desenvolvimento do universo celular, perfazendo uma rede sofisticada e eficiente, onde tudo está ligado a tudo.
Quanto ao termo relativista, é mais fácil de entender, pois, a ciência de Eistein nos mostrou como tudo é relativo, e que o manejo e/ou a interferência do observador, interferem na contextualização dos fatos.
Então... a arte de curar a partir do significado dos sentimentos e emoções é muito mais do que entender o que preconizam as teorias desde Freud e Jung até os contextos mais recentes. Hoje devemos estar sempre atentos e focados na transformação do mundo e das pessoas.
O físico da Universidade de Londres, David Bohm, por exemplo, acreditou que as descobertas de Aspect implicaram na realidade objetiva não existente, que a despeito da aparente solidez o universo está no coração de um holograma fantástico, gigantesco e extremamente detalhado.
Os elétrons num átomo de carbono no cérebro humano estão interconectados com as partículas subatômicas que
compreendem todo o universo.
Em um universo holográfico, mesmo o tempo e o espaço não podem mais serem vistos como fundamentais. Porque conceitos como localização se quebram diante de um universo em que nada está verdadeiramente separado de nada, tempo e espaço tridimensional. Bohm não é o único pesquisador que encontrou evidências de que o universo é um holograma. Trabalhando independentemente no campo da pesquisa cerebral, o neurofisiologista Karl Pribram, de Standford também se persuadiu da natureza holográfica da realidade. Pribram desenhou o modelo holográfico para o quebra cabeças de como e onde as memórias são guardadas no cérebro.
Visto a dimensão e seriedade das pesquisas, já aceitas como ciências, podemos averiguar que essa nova era de conceitos não tem entrada somente pelas vias sensoriais, são formas sutis pelas quais passaremos aprender como se faz.
É fato também, que uma única célula tem seu infinito micro universo inteligente, tanto quanto está interligada com o universo humano numa dimensão que não sabemos mais qual é!
É fácil entender as interferências dos vários universos em que estamos interligados: o que respiramos, o que bebemos, o que comemos, onde estamos, o que consumimos e todos os fatores de poluição psíquica e ambiental, a má qualidade dos alimentos não orgânicos, a falta de ética na industrialização dos alimentos... Então já sabemos por que estamos tecnologicamente avançados em tratamentos e medicamentos e o mundo está cada vez mais doente.
E mais, não fica, também, difícil de diferenciar que prevenção é muito mais que fazer exames periódicos para detectar doenças, é cuidar e preservar o mundo infinitamente pequeno tanto quanto o infinitamente grande. Sem perdermos de vista que as conexões são sutis, porém existente em sua magnitude, e estão conectadas no contexto Mundo.
Eu deixo para reflexão: o que é saúde? Não pode ser só energia boa?! Coração bom?! Rim em bom funcionamento?! ser um Ser centrado?! Planeta limpo?!...TUDO ESTÁ INTIMAMENTE INTERCONECTADO, portanto, a cura ou a preservação da saúde não é só do terapeuta, ou do médico, ou do psicólogo ou do ou sei La de quem!!!!!!!
É um ato de se informar, de se educar de SER e ESTAR em harmonia com seu universo infinitamente pequeno, bem como, com seu universo infinitamente grande, afinal somos seres bio psico social espiritual e...

Nenhum comentário: