sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Massagem Ayurvédica


http://www.ayurveda.org.br/artigos/index/massagem-ayurvedica
* por Erick Schulz
Há milhares de anos, em diversas tradições e culturas, a massagem é utilizada como fonte de cura, saúde e harmonia. Numa rápida passada em qualquer livraria no Brasil encontramos diversos livros especializados em massagem, mais somente nos últimos anos é que a grande maioria da população Brasileira começou a ouvir falar da massagem originaria da Índia ou conhecida como ayurveda (ayurvédica). Ainda não encontramos material rico sobre o assunto no Brasil, somente material que mais confunde o leitor do que ajuda no entendimento do assunto, e é exatamente isso que eu estarei tentando explicar melhor. 
Na Índia a massagem é aplicada como hábito cultural diário, a massagem faz parte inerente da vida, da cultura, desde o nascimento, os casamentos e antes da morte. É muito comum vermos famílias aplicando massagem nos seus familiares assim como nas ruas, nas calçadas e nos templos, como algo diário e fazendo parte do cotidiano. A massagem Ayurveda é originada na sabedoria milenar da Medicina Ayurveda. Medicina originaria e baseada nos milenares livros denominados VEDAS. O ayurveda em sua abordagem terapêutica utiliza diversos procedimentos tais como: plantas medicinais, dieta, exercícios físicos (asanas de yoga), meditação, astrologia védica (hindu), aromaterapia, gemoterapia (metais e gemas), cirurgia, psicologia, procedimentos de desintoxicação (Pancha Karma) e os Purva Karmas que é onde se encaixa a massagem ayurvédica como um de diversos procedimentos. 
Nos dias atuais a grande população das principais nações do mundo, buscam um resgate da harmonia entre corpo e mente, que través de mals hábitos e um estilo nada saudável de vida durante muitos anos acabou se perdendo. O ayurveda e outras formas medicinais orientais trazem exatamente essa harmonia tão procurada pelos ocidentais.
Segundo o ayurveda onde há harmonia existe saúde, onde há desarmonia, existe há doença. A palavra harmonia, neste contexto, refere-se à integração que temos com o meio ambiente (natureza), através de nossos 05 sentidos. “Saúde é um estado de bem-estar físico, mental e social completo e não meramente a ausência de doenças”OMS – Organização Mundial da Saúde Sem analisar o ser humano por completo, nossa saúde enfraquece e aparecem as doenças. O que infelizmente aconteceu com o decorrer do tempo e de estudos avançados da medicina moderna, é que o individuo é visto em partes e não por completo como no ayurveda e na medicina chinesa, que analisam o ser humano como ser individual e único. 
No ayurveda o homen não só faz parte da natureza como vive em harmonia com ela 24 horas por dia. O ayurveda é baseado na construção do ser humano a partir dos cinco elementos fundamentais “Pancha Maha Bhutas” (fogo, terra, água, ar e éter ou akasha). Estes elementos expressam-se no organismo numa forma condensada, gerando três modelos constitutivos básicos que correspondem aos humores biológicos conhecidos como doshas (código energético original) ou tridoshas, conhecidos como: Kapha, Pitta e Vata. 
Os doshas são os mecanismos que governam o nosso organismo. A junção dos elementos Éter (akasha) e Ar manifesta-se o Vata Dosha. O Pitta Dosha é formado a partir dos elementos fogo e água e os elementos terra e água resultam no Kapha Dosha. - Vata é o princípio do movimento no corpo, na mente e na consciência. É responsável por todo o movimento físico, o que inclui os sistemas de circulação interna e de eliminação, as mudanças em nossos pensamentos e emoções e até mesmo as alterações em nosso estado de consciência. - Pitta é o princípio da digestão e da transformação. É responsável pela digestão dos alimentos no estômago e no trato intestinal, das partículas em nível celular e também pela “digestão” de nossos pensamentos e emoções. Pensamentos bem digeridos levam ao conhecimento intelectual; emoções bem digeridas levam à consciência intuitiva e ao auto-conhecimento. Quem mantém uma boa saúde e vive intelectualmente alerta e em paz com suas emoções se desenvolve e evolui com muito mais facilidade e rapidez. São os efeitos de uma “boa digestão”. - Kapha é o princípio da lubrificação e da organização. Para que haja movimento e digestão é preciso que o organismo esteja perfeitamente lubrificado. Como o corpo não é simplesmente uma máquina, e sim um todo em constante modificação, resultante tanto da percepção interna quanto de estímulos externos, kapha também é responsável pela inteligência celular. É o que garante, por exemplo, que o coração irá exercer exclusivamente suas funções e não as de outros órgãos. A presença de vata, pitta e kapha é que garante nossa existência física. Sem vata, por exemplo, não existiria o movimento. E até mesmo uma pessoa paralisada e em estado de coma precisa ter o movimento do sangue, do oxigênio e de secreções para continuar viva. Sem pitta não haveria digestão e todos passariam fome. Sem kapha não haveria lubrificação e nossos braços, pernas e corpos não se moveriam. Vata, pitta e kapha são os chamados doshas, que contêm a chave para o equilíbrio.Trecho retirado do livro “Se o meu médico diz que estou bem ...Por que me sinto tão mal? Editora ButterflyLivro com revisão técnica de Erick Schulz (Pode ser feito um box para este trecho em azul) 
Quando em harmonia, os doshas desempenham diferentes funções no organismo e mantém sempre com saúde. Os doshas podem se encontrar em desarmonias por diversos fatores e sendo assim causar o aumento ou diminuição dessa energia no organismo, causando assim alterações patológicas no corpo físico que contribuem para o surgimento de doenças. Todos os três doshas estão presentes no ser humano, em diferentes quantidades. É no momento da concepção que as diferentes constituições das percentagens relativas entre vata, pitta e kapha são determinadas em nosso organismo. Em nosso dia a dia podemos observar muito bem como isso tudo funciona, por exemplo, uma pessoa com excesso do vata dosha sofre emagrecimento, debilidade, aversão a frio, tremores, alterações no sistema nervoso, tonteira, formação de gases, mente avoada, intestino preso e seco, pele seca, cabelo quebradiço, secura no organismo e reumatismo. Já uma pessoa com desarmonia no pitta dosha apresenta olhos e pele amareladas, problemas de pele, fome em excesso, a sede aumenta, febre, intestino solto, calor corporal em excesso, inflamações, azia e queimação, irritabilidade e stress. Kapha em excesso gera digestão lenta (não confundir com a digestão normal do kapha que já é um pouco mais lenta que o normal), tosse com formação de mucosidade nos pulmões, sonolência, obesidade e preguiça.(os exemplos citados a cima são somente para demonstrar como é um dosha em desarmonia. Uma pessoa com desarmonia em qualquer um dos doshas poderá encontrar semelhança em qualquer um dos exemplos, por isso sempre pedimos que procure um profissional qualificado) A massagem ayurveda (ayurvédica) pode ser aplicada em qualquer pessoa, portanto que seja definido anteriormente o biótipo (dosha) da pessoa que irá receber o procedimento, para o caminhar tranqüilo do atendimento o profissional deve estar informado a respeito do estado de saúde real do seu cliente, para que assim possa estar realizando um trabalho harmonioso e alcançar os resultados adequados. De acordo com os ensinamentos ayurvédicos a massagem é recomendada como prática diária, assim como comer e dormir. Ela equilibra o corpo e a mente, atuando nos níveis físico e psíquico. O hábito regular da massagem vitaliza o sistema circulatório, aumentando a circulação dos fluídos vitais e as trocas em nível celular, ajudando a remover toxinas, melhora a pele, músculos e nervos, oxigena as células, auxiliando corpo e mente a obter e manter equilíbrio e saúde. Promove uma respiração mais profunda, atua no sistema linfático, sanguíneo e nervoso, estimula o intestino sendo excelente para prisão de ventre é anti radicais livres, melhora o apetite e ajuda o sono profundo. O sistema linfático aumenta a circulação em até seis vezes após a massagem. Importantes enzimas que compõem a linfa, como a histaminase, e neurotransmissores, como a serotonina, fundamentais para o relaxamento muscular e nervoso, são liberadas em profusão durante a massagem. A obstrução do fluxo de prana (energia vital) no organismo são as causadoras da maioria das dores pela visão do ayurveda. A fricção que é causada durante a massagem, gera calor no organismo e automaticamente a desobstrução destes canais e existe assim a liberação do fluxo, aliviando dores, tensões e um melhor fluxo energético no organismo. A medicina ayurveda deixa bem claro que a massagem ainda nutre o organismo, ajuda em problemas mentais e emocionais, rejuvenesce, revigora e revitaliza, ajudando na virilidade e na virilidade masculina e evitando a frigidez feminina. Existem poucas contra indicações para a massagem, mais todas sempre precisam ser muito bem observadas. O excesso de ama (toxina) no organismo é algo que sempre precisa tomar cuidado, como por exemplo: febres, resfriado, constipação. Outros fatores devem ser observados como a diabete, pressão sanguínea, problemas de pele, osteoporose entre outros. É recomendável a orientação médica experiente antes de receber massagem. Materiais usados na massagemNa massagem ayurveda é recomendado à utilização de óleos vegetais prensados a frio durante a massagem ou ervas para alcançar melhores benefícios. Os óleos são nutrientes para a pele, pois contêm proteínas e carboidratos que são absorvidos pela epiderme, retardam o envelhecimento proporcionando assim à prevenção a secura no organismo, devolve vida a pele e evita radicais livres. Quando o óleo ou a erva é aplicado na pele à absorção se dá através dos espaços intercelulares e alcança os tecidos mais profundos, incluindo os ossos, sangue, músculo e outros. 
A massagem é um condutor direto e ajuda na absorção os óleos e ervas através da pele e no tratamento de todos os sete Dhatus (tecidos do corpo). 1. Rasa Dhatu (Plasma e Linfa) contém os nutrientes que advêm da comida digerida e nutrem todos os tecidos, órgãos e sistemas.2. Rakta Dhatu (Sangue) governa a oxigenação em todos os tecidos e órgãos vitais e mantém a vida. (em específico, os glóbulos vermelhos)3. Mamsa Dhatu (Músculo) cobre os órgãos vitais frágeis, desempenha os movimentos das articulações e mantém o vigor físico do corpo.4. Meda Dhatu (Gordura e tecido conjuntivo) mantém a lubrificação e oleosidade de todos os tecidos.5. Asthi Dhatu (Ossos) dá suporte à estrutura do corpo.6. Majja Dhatu (Medula óssea e Nervos) preenchem os vãos ósseos e transportam os impulsos motores e sensoriais.
Shukra e Artava Dhatu (Tecidos Reprodutores) o conteúdo e produto desses tecidos é Ojas (essência Vital e Imunidade). Ojas é produzido durante a nutrição de todos os tecidos e é um subproduto de Shukra/Artava Dhatus.
Os óleos e ervas deverão ser escolhidos de acordo com o tipo de desequilíbrio predominante no paciente, de acordo com as estações do ano e em função das necessidades particulares de cada indivíduo. Em todas as literaturas clássicas do ayurveda sempre é enfatizado a utilização correta dos óleos e ervas na massagem. As ervas que são utilizadas são as mais variadas possíveis, tudo de acordo com o biótipo e função de cada uma, mais temos as mais conhecidas como o vacha ou conhecido no Brasil como vacandi (acorus calamus) ou ginseng brasileiro (pfafia paniculata). A massagem com os pós de ervas medicinais serve como dissipador das energias magnéticas e eletromagnéticas condensadas. As ervas citadas acima têm uma função muito importante, pois penetram na pele, auxiliando na ativação da circulação sanguínea, tendo propriedades curativas, aumentando a temperatura do corpo e eliminando gordura e diminuindo medida do corpo. Massagem com pó de ervas é mais indicado para kaphas. A realização da massagem poderá ser utilizado diverso tipos de óleos vegetais, como por exemplo, o óleo de mostarda, de rícino (mamona), gergelim, coco, amêndoas, germe de trigo, neem, ghee. Óleo de Mostarda (brassica alba) – É um óleo muito popular em toda a Índia, pois é utilizado tanto na culinária como na medicina ayurveda. Alivia dores musculares e diminui kapha no organismo. Aumenta o calor corporal, e em caso de dores articulares e reumatismo, a associação do óleo de mostarda com á cânfora traz bons resultados. É estimulante, alivia congestão e a lentidão corporal. Óleo de Gergelim (sesamum indicum) – É um dos óleos mais populares do Oriente, muitas vezes é utilizado como formulação de óleos medicinais. Ele é indicado para os Vata, aumentando o Pitta e para os Kaphas poderá ser utilizado em uso moderado. Muito utilizado para alterações do sistema nervoso, inchaços, pele seca (aumento de vata), nutrição dos cabelos e reumatismo. É tônico nutritivo, emoliente, rejuvenescedor. Utilizar o óleo de gergelim nos pés acoplado a uma massagem antes de dormir, relaxa e induz ao sono profundo. Óleo de Coco (cocus nucifera) – utilizada no mundo todo como base para cosméticos e sabonetes. Ótimo pra pitta. Na índia é muito usado para queimaduras, eczemas e micoses pela sua propriedade anti-séptica. Nutre os pulmões e a pele, reduz as inflamações e ajuda muito a psoríase e eczemas. Óleo de Amêndoa (prunus amygdalus) – É muito utilizado na Índia para crianças e idosos, têm propriedades mornantes e sabor doce. Deve-se colocá-lo no sol por 40 dias para aumentar suas propriedades terapêuticas; muitas vezes é misturado com leite e usado como tônico pelos lutadores indianos. É ótimo para os músculos e pele, aumenta a vitalidade, bom para os rins, alivia as dores de tensões musculares. É expectorante e emoliente. Óleo de Rícino (ricinus communis) – conhecido também como Castor oil ou óleo de mamona, o óleo de rícino é quente, doce e amargo indicado principalmente para vata em excesso, pois alivia a secura da pele e nutre os tecidos. Produz efeito alcalino no corpo, estimulando a digestão, reduz a rigidez muscular, analgésico, atua sobre os nervos, alivia artrite, diminue as inflamações, cólicas e dores. Óleo quando utilizado internamente tem efeito laxativo. Óleo purificado da Manteiga de Leite sem sal (Ghee - Ghi ou Ghrta) – Óleo conhecido no mundo todo pelo seu gosto e cheiro diferenciado e por dar um toque diferenciado na culinária indiana. É tônico, rejuvenescedor, afrodisíaco, digestivo, estimulante, fortalece o fígado os rins e o cérebro. Nutre os sete dathus (tecidos), aumenta o jathragni (fogo responsável pela digestão e assimilação dos alimentos). Diminui vata e pitta, aumenta kapha. “A massagem ayurveda é a mais completa forma de massagem que conheço”, define a médica Dra. Brenda Kalil especialista em medicina ayurveda. “É uma técnica maravilhosa que relaxa os músculos, a mente e equilibra a parte energética” Procedimentos AyurvédicosNa medicina ayurveda a massagem é somente um de inúmeros procedimentos terapêuticos, os quais incluem massagens específicas para equilibras cada dosha. Este conhecimento permite que o médico ou terapeuta determine não só qual tratamento e massagem devem ser usados, como também quais as ervas e óleos e as manobras ideais para o paciente. 
Chikitsa é uma forma prática e segura de entender os procedimentos terapêuticos do Ayurveda sobre as patologias. Existem duas formas de aplicar Chikitsa: A primeira chama-se SHAMANA (Purva Karma) consiste em técnicas terapêuticas aplicada sobre o paciente para reduzir os sintomas da doença. Essas técnicas envolvem todas as aplicações necessárias para diluir, conduzir, lubrificar, aquecer, esfriar, secar, nutrir, em fim, tentar equilibrar o máximo possível os Doshas que se encontram em desequilíbrio no paciente. Shamana é uma forma de fazer o paciente retornar a sua natureza; em outras palavras, fazer o paciente retornar ao seu ponto de saúde. É aconselhável, sempre que possível, aplicar Shamana até equilibrar o paciente evitando o Shodana. Aplicar Shodana em último caso, quando o paciente encontra-se em profundo desequilíbrio crônico. Podem ser feitos de forma avulsa, para fins de relaxamento, estética ou manutenção após os tratamentos prescritos. A segunda chama-se SHODANA (Pancha Karma) – Shodana é o Pancha karma propriamente dito, que significa terapia das cinco ações. São técnicas terapêuticas voltadas ao reequilíbrio de desarmonias no organismo. Para aplicar o Shodana é necessário que seja realizado ao mesmo tempo ou anteriormente à preparação - Shamana. 
O shamana poderá ser utilizado como manutenção, após o pancha karma.(estaremos falando com maiores detalhes sobre os Pancha Karma no próximo artigo) Veja Alguns Shamanas (Purva Karma): Abhyanga – (Conhecido também como Snehana Externo), conhecido também como Sneha Abhyanga (uma das terapias com uso de óleos). É uma massagem corporal e facial realizada com óleos ou ervas específicos para cada dosha que auxilia na revitalização dos tecidos do corpo (dhatus) facilitando que as toxinas sejam removidas do corpo. É considerado um dos procedimentos mais importantes do Ayurveda.
No abhyanga é essencial o uso de óleos vegetais medicamentosos, sempre se utilizando de óleo morno, por todo o corp, que pode também aplicado na forma de auto-massagem. O abhyanga tem efeito muito mais profundo que as massagens em geral, pois consegue equilibrar corpo-mente-energia. Praticado até os dias de hoje na Índia, abhyanga, que em sânscrito significa untar, friccionar com óleo. Esta massagem pode ser aplicada por um terapeuta ou dois, sincronizadamente. O abhyanga reequilibra os doshas, fortalece o sistema imunológico, ajudando o indivíduo a criar resistência e flexibilidade internas para se defender e se adaptar às mudanças e intempéries. Promove o aumento da circulação periférica nos vasos capilares, o que reduz a pressão arterial e aumenta a oxigenação nos tecidos. Sendo um dos tratamentos de rejuvenescimento do ayurveda, o abhyanga aumenta a força do tecido, melhora a circulação do sangue, rejuvenesce os tecidos, remove celulite, embeleza a pele, atrasa a velhice, induz ao sono sadio, promove vitalidade, pacifica desarmonias de vata, reduz toxinas e remove o stress. O abhyanga pode se aplicado em regiões específicas do corpo, e assim recebe os nomes:
Mukhabhyanga = massagem facialPadabhyanga = massagem nos pésPristhabhyanga = massagem nas costasShiroabhyanga = massagem na cabeça Udwartana e Garshana – Este é um procedimento aplicado em todo o corpo (menos rosto), propicio para a perda de peso. Diferente do Garshana não se utiliza de sal grosso nem cânfora, a que a torna menos agressiva. Uma pasta ou um pó de ervas é aplicado sobre todo o corpo e massageado profundamente com movimentos específicos por dois ou um terapeuta.

Um maravilhoso tonificante da pele e dos músculos torna-se um aliado na redução de medidas após parto ou grande perda de peso. E, ainda, é eficaz na remoção de toxinas de kapha do corpo, revitalizando o sentido de toque e reduzindo celulites, ou seja, um poderoso oxigenador do corpo.
Com uma luva de seda esta é uma massagem aplicada no corpo, (menos rosto e cabeça), utilizando-se óleo vegetal morno acoplado com ervas em pó, as quais podem conter cânfora, sal grosso ou black salt. O Garshana é um tratamento herbário especializado para redução de peso.
Melhora a qualidade da pele, tonifica os músculos, diminuindo a flacidez e o peso, reduzindo celulite e removendo toxinas de Kapha, proporcionando uma maravilhosa esfoliação no corpo. 
Chavutti Thirummal – Essa massagem é típica do Kerala, sul da Índia, está associada a três outras tradições: o Kalaripayattu (arte marcial indiana), o Kathakali (dança clássica) e o Ayurveda (sistema de medicina indiana). No Kalaripayuattu, assim como no Kathakali exige-se dos praticantes excelente forma física, flexibilidade, resistência e soltura.
De todas as formas de massagem, chavutti é a que proporciona pressão mais profunda com uniformidade, pois nesse estilo de massagem o especialista desliza com os pés sobre o corpo do paciente untado com óleos medicinais. Para o terapeuta poder se equilibrar ele se apóia em uma corda ou um banquinho. Chavutti é indicada para dores musculares, desnutrição, rigidez, edema, estresse, insônia. Marma Abhyanga, Marma Shastra ou Massagem Marma – Os marmas se assemelham aos pontos da acupuntura em suas propriedades e finalidades. Às vezes, são referidos a eles como “pontos de acupressão ayurvédicos”. No entanto, devemos ter cuidado para não simplesmente igualarmos os marmas aos pontos de acupuntura.(trecho retirado do livro: Ayurveda e a Terapia Marma – Dr. Avinash Lele, Dr. David Frawley e Dr. Subhash Ranade, Editora Madras) Marmas são várias regiões no corpo onde se encontram: articulações, ossos, ligamentos, músculos e vasos (linfa, artérias, veias e nervos). Também conhecidos como pontos energéticos, estes 107 principais pontos são sensíveis e se os circularmos gentilmente com a ponta dos dedos as toxinas serão liberadas e expelidas pelo corpo. Utilizamos os marmas como diversas formas terapêuticas no ayurveda, inserido dentro da massagem ou de forma avulsa, utilizando-se acupressão, óleos essenciais, tratamento prânico, agulhas, aplicação de ervas, sangria, aplicação de calor. 
Kumara Abhyanga – Massagem específica para bebês, que é conhecida erroneamente no ocidente como Shantala. A massagem em bebês é muito parecida com o abhyanga, modificando o tipo de óleo, duração e sua aplicação em determinados pontos do corpo. Após a massagem o bebê é submetido a um tipo de “defumação” que na Índia é conhecido como dhumapa.
Há muito tempo à massagem integra a vida cotidiana na Índia. De acordo com o costume do ayurveda, receber uma massagem por semanal é recomendado para homens e mulheres que queiram manter o equilíbrio saudável dos doshas. Escolha um bom profissional com experiência e conhecimento no assunto e marque o seu horário. Cada massagem dura em média uma hora. Em alguns casos poderá ser realizado logo após a massagem o Shirodhara que é uma técnica maravilhosa ou o swedana que é uma técnica de sudorese, ambos os procedimentos estaremos falando com mais detalhes no próximo artigo.
* Om Namo Narayana Namaste Erick Schulz-Diretor do Instituto de Cultura Hindu Naradeva Shala-Vice-Presidente da Associação Brasileira de Ayurvedawww.naradeva.com.br

Nenhum comentário: