quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O Ayurveda e o Reumatismo

http://www.naradeva.com.br/ws2011/exibetxt.asp?conteudo_txt=983&titulo=artigos

O Ayurveda e o Reumatismo
O Reumatismo ou doença reumatológica envolve mais de 100 doenças na medicina ocidental. Segundo a escola americana de Reumatologia podemos classificar o reumatismo da seguinte forma:
1- Doenças do Colágeno ou auto-imunes: ex. Artrite Reumatóide e Lupus Eritematoso
2- Artrites associadas a espondilites: ex. artrite da Psoríase
3- Reumatismo degenerativo: ex. Artrose
4- Artrites infecciosas
5- Doenças endócrinas e metabólicas: ex. Gota
6- Alterações ósseas: ex. Osteoporose
7- Reumatismo de tecidos moles: ex. Bursite, Tendinite e Fibromialgia
Apesar de serem muitas doenças na visão ocidental o Ayurveda classifica o reumatismo em 3 tipos: Reumatismo do tipo Vata com muitas dores articulares que podem ser migratórias, pioram com o frio e melhoram com o calor. Neste caso o paciente apresenta pele seca e creptações nas articulações, ansiedade, depressão e insônia. Reumatismo do tipo Pitta com muita inflamação, vermelhidão, sensação de queimação, febre e sudorese, piora com o calor e melhora com o frio e irritabilidade. Por último o reumatismo do tipo Kapha, com edema, inchaço, dor em peso que melhora com calor e piora com o frio e umidade, pele oleosa, fadiga e tendência a ganhar peso com facilidade.
O Ayurveda afirma que as doenças reumatológicas estão associadas a acúmulo de AMA ou toxinas devido a alterações digestivas e constipação. Neste caso temos que enfatizar a importância de uma alimentação equilibrada e individualizada de acordo com o diagnóstico da desarmonia do paciente. Uma dieta rica em alimentos de origem animal como leite e derivados, carnes e gorduras pode provocar o acúmulo de AMA, com a formação de alterações músculo-esqueléticas que chamamos de reumatismo.
Associado a uma dieta equilibrada recomendamos a fitoterapia, uso terapêutico das plantas medicinais. O Ayurveda possui muitas ervas com propriedades analgésicas e antiinflamatórias como a Commíphora mukul e a Boswellia serrata.
A massoterapia ayurvedica é uma excelente ferramenta terapêutica no paciente com reumatismo. Pois promove um profundo relaxamento, que alivia as tensões associadas a
Doença, reduz a fadiga, ansiedade e depressão que são prevalentes nestas alterações. No Ayurveda a escolha do óleo medicinal é fundamental pois será feita de acordo com o diagnóstico do desequilíbrio de Vata, Pitta ou Kapha no momento do tratamento.
O tratamento com sucesso das doenças reumatológicas necessita de uma transformação,com uma rotina diária, individualizada, de hábitos saudáveis que propõe uma mudança no padrão mental do paciente,com a prática regular e bem orientada de Hatha Yoga e meditação.
Aderson Moreira da Rocha

Dopamina, Drogas e Vícios

http://www.docelimao.com.br/site/doce-sabedoria/1185-dopamina-drogas-e-vicios
Conceição Trucom
Cocaína, Açúcar e Trigo refinados. O que têm estes três pós em comum?
São brancos, apresentam rápida absorção pela corrente sanguínea (porque todos refinados), e interferem na liberação de dopamina no cérebro.
Os dois primeiros fenômenos são mais fáceis de entender, mas dopamina? Do que se trata?
Segundo a wilkipédia a dopamina é um importante neurotransmissor no cérebro, produzido por um grupo de células nervosas, chamadas de Neurônios Pré-Sinápticos, que atuam no cérebro promovendo, entre outros efeitos, a sensação de prazer e a sensação de motivação.
A dopamina é precursora natural da adrenalina e da noradrenalina e por conseguinte tem como função a atividade estimulante do Sistema Nervoso Central (SNC). Em doses naturalmente* baixas a moderadas, o fluxo sanguíneo coronário e o consumo de oxigênio do miocárdio geralmente se incrementam. Ou seja, nosso coração acelera, ocorre um aumento de pressão e oxigenação, para que pensamentos e ações ligadas à defesa e sobrevivência ou alegria, felicidade, entusiasmo sejam percebidas e vivenciadas.
Enquanto produzida e liberada por causas naturais, faz parte da bioquímica humana, não só para momentos de defesa e sobrevivência, mas também de ‘lutar’ por sentido e significância existencial.
Porém, não contente com o natural, a dopamina está por trás da dependência do jogo (inclusive eletrônicos), sexo, álcool e outras drogas. Ilusão, porque a duração da ação da dopamina é de menos de 10 minutos. Portanto, o ‘viciado’, para manter a sensação ‘química’ do prazer, precisa estar ‘consumindo’ a droga continuamente e, em doses cada vez maiores: criando uma sensação permanente de empolgação ou euforia no usuário.
Como isso não é realmente possível, surge a bioquímica do Sugar Blues (título do livro de William Dufty – Editora Ground), uma expressão idiomática inglesa, que significa um estado de depressão ou melancolia revestido de medo, ansiedade e desconforto físico. Múltiplas penúrias físicas e mentais causadas pelo consumo exagerado e freqüente de açúcar e trigo refinados. Trata-se da mescla de distúrbios fisiológicos (hipoglicemia) e neurológicos (dopamínicos).
O grave: as anormalidades causadas pela dopamina estão relacionadas às patologias de desordens psíquicas tal qual a Esquizofrenia (desbalanceamento com excesso na via dopaminérgica mesolímbica e escassez na via mesocortical), e também estando associada a Mal de Parkinson (escassez na via dopaminérgica nigro-estriatal.
E mais um importante alerta: o problema das drogas começa muito antes da primeira dose, pois estudos apontam que a alimentação e hábitos dos pais pode já estar minando bases fisiológicas e neuronais para possíveis vícios que a criança vai estar mais suscetível para desenvolver.
(*) Alimentos naturais consumidos de forma moderada, atividades físicas, sexo e de lazer praticadas de forma saudável, por exemplo...
*Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida.