domingo, 9 de junho de 2013

Pesquisa reafirma os benefícios da espiritualidade para o bem-estar

 

Pesquisa reafirma os benefícios da espiritualidade para o bem-estar Diego Vara/Agencia RBSPesquisa reafirma os benefícios da espiritualidade para o bem-estar

A euritmia é uma prática corporal que busca harmonizar o corpo, a alma e o espírito Foto: Diego Vara / Agencia RBS
A relação das pessoas com o sagrado, em suas mais diversas formas, também pode ser uma fonte de bem-estar. O equilíbrio entre a mente, o corpo e o espírito é capaz de trazer benefícios e melhorar a qualidade de vida.
A pesquisa IBE, realizada em Porto Alegre, evidencia a relação entre felicidade e espiritualidade. As pessoas que afirmam possuir alguma religião apresentam maior bem-estar do que as que não têm uma crença, resultado que se repete em quase todas as dimensões avaliadas. Enquanto os religiosos alcançaram o índice de 0,69, aquelas sem nenhuma crença ficaram com 0,63.
O pesquisador do Núcleo de Estudos da Religião da UFRGS Rodrigo Toniol afirma que a importância da religião na vida de cada um é um fator muito pessoal e que as respostas para essa avaliação podem ser tão variadas quanto o número de pessoas no mundo. Ele destaca, entretanto, que a relação das pessoas com o sagrado tem se modificado.
– Percebemos uma tendência de uma diminuição de fiéis em instituições religiosas tradicionais, como o catolicismo, que veio acompanhada de um aumento de seguidores das igrejas neopentecostais, um fenômeno que merece atenção no atual quadro das reli­giões no Brasil – comenta.
Ao mesmo tempo, diz Toniol, há um crescente individualismo do crer e o número de pessoas sem religião tem aumentado, “o que não significa que essas pessoas não busquem se relacionar com o sagrado de outros modos”, esclarece. Nesse cenário, ocorre uma legitimação de terapias alternativas. Algumas, inclusive, tiveram sua oferta assegurada pela chamada Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, lançada pelo Ministério da Saúde em 2006.
– Para o sujeito, na maior parte das vezes, essas práticas não têm a ver com algo da ordem dos dogmas religiosos, mas com a possibilidade de desenvolvimento mental, físico e espiritual de si mesmo – diz Toniol.
Foi justamente para alcançar “um afago na alma” e uma melhor qualidade de vida que a jornalista Isabela Niemeyer, 42 anos, buscou a euritmia, uma prática corporal que busca harmonizar o corpo, a alma e o espírito. Para ela, a escolha foi acertada:
– É uma outra vida. Sinto que tenho mais energia, mais força vital, que estou mais conectada a mim mesma, à comunidade que eu estou frequentando, ao Universo.
Entendendo que a presença do sagrado está em cada um e em todos, Isabela tem uma relação particular com a espiritualidade:
– Cada um pode ser e ter essa conexão que eu chamo de divina. Você não precisa estar em uma religião específica, você tem de seguir o seu coração, acreditar. A euritmia me fez ver, de fato, o que está no meu coração.>>Em site especial, leia mais sobre a pesquisa IBE 2013

O Que é a euritmia
A euritmia é uma prática que trabalha para harmonizar a alma, o corpo e o espírito por meio dos movimentos.
– Esse movimento faz com que a gente se alinhe com as forças da terra (a matéria) e com as forças do céu (o espírito). A postura ereta do ser humano mostra que nós somos seres que vivem entre esses dois âmbitos – explica a euritmista Margrethe Skou Larsen.
A palavra euritmia vem do grego e significa “ritmo harmonioso”. O precursor foi o austríaco Rudolf Steiner que, em 1912, realizou uma movimentação de busca pela espiritualidade no mundo da dança. Nessa busca, surge a euritmia.
Na dança, todo o movimento é consciente e repleto de sentimento, o oposto do que ocorre na ginástica. Segundo Margrethe, tudo acontece por meio da percepção, permeando todas as partículas do corpo.
>>>Acompanhe o Bem-Estar no seu celular. Clique aqui para acessar nosso aplicativo ou digite
http://zhora.co/appbemestar no seu smartphoneVeja a relação entre religão e bem-estar segundo a pesquisa IBE:
 

Cinco fatores que fazem o corpo envelhecer

Elioenai Paes , iG São Paulo                 
Médico norte-americano explica como modificar fatores que podem ser mudados no processo de envelhecimento dentro do organismo
Envelhecer é natural. Para o médico norte-americano Mike Moreno, no entanto, é possível atrasar o "relógio interno" e exibir uma idade biológica menor do que a verdadeira.
No livro "O plano dos 17 dias para manter-se jovem" (Ed. Fontanar) o especialista enumera e explica cinco processos que prejudicam o funcionamento normal do organismo e favorecem o envelhecimento.
Segundo Moreno, todos esses processos podem ser atenuados com boa alimentação, consumo correto de vitaminas e a prática regular de exercícios físicos. Entenda os fatores que fazem o corpo envelhecer:
1 – Inflamação
De acordo com o especialista, a inflamação é um processo normal dentro do organismo, que ajuda o corpo a combater infecções e a reparar tecidos danificados. O problema é quando ela fica fora de controle e não desaparece naturalmente.
“Quando isso acontece em lugares perigosos, como artérias ou articulações, células são danificadas, e você pode ficar bastante doente e enfraquecido”, escreve Moreno, que é membro da Academia Americana de Médicos da Família.
Não se sabe exatamente o que é que pode causar a inflamação crônica, mas é sabido que o cigarro é uma das principais causas de inflamação no corpo. A obesidade, o sedentarismo e o estresse também contribuem.
Como prevenir: Moreno sugere manter o peso ideal, fugir do sedentarismo, entender quais são as gorduras boas e ruins, comer carboidratos bons e moderar o consumo de bebidas alcoólicas – moderação, para Moreno, significa 1 dose diária.
2 – Estresse oxidativo – quando o corpo 'enferruja'
O livro explica que o processo de oxidação no organismo pode ser comparado à ferrugem, e que há limites para a oxidação natural do corpo. Quando fica excessiva, acontece o chamado estresse oxidativo, quando as células vão, pouco a pouco, sendo danificadas. E os vilões são os radicais livres.
“Com o tempo, os radicais livres podem se acumular no corpo e levar a problemas sérios de saúde, como câncer, diabetes, aterosclerose, Alzheimer e artrite reumatoide”, explica.
Para prevenir: Ingerir antioxidantes como vitaminas A, C, E, betacaroteno, selênio, bioflavonoides e as plantas ginkgo biloba e ginseng . Alimentos coloridos são ricos em antioxidantes. Moreno também recomenda praticar exercício físico com moderação – nada de exageros.
“Um sinal para saber se a intensidade do exercício foi correta é a ausência de dores e cansaço após 48 horas”.
3 – Glicosilação
É um nome complicado para um processo que acontece quando moléculas de açúcar se unem com proteínas dos alimentos. O resultado dessa mistura não é nada bom.
“E essa massa dura e emaranhada de tecidos, como você pode imaginar, faz um estrago na flexibilidade dos seus órgãos, levando-os a enrijecer. Esse enrijecimento no seu coração, por exemplo, pode afetar drasticamente a capacidade dele de bombear sangue”, explica o médico no livro.
Para prevenir: O médico indica evitar a ingestão de xarope de milho rico em frutose, que está presente em muitos alimentos industrializados e comer mirtilos, frutinhas do bosque ricas em anti-inflamatórios chamados cianinas. Eles ajudam a evitar a glicosilação e fazem a pele parecer mais jovem.
4- Metilação
Moreno explica que a metilação é um processo vital das céulas do corpo. É ela quem determina se a pessoa vai absorver com sucesso vitaminas, enzimas ou outros compostos químicos ingeridos com a alimentação.
Segundo Moreno, se o organismo não estiver realizando essa função adequadamente, é possível tratar a causa do problema, que geralmente se deve a uma deficiência na ingestão de ácido fólico, uma vitamina do complexo B. Comer ovos e sementes, por exemplo, ajudam, pois são alimentos ricos nessa vitamina.
Para prevenir: Comer gema de ovo (é rica em vitamina B12), investigar se não está tomando medicamentos que interferem na absorção dessa vitamina e comer sementes de girassol, que são muito nutritivas.
“Mastigue algumas como lanche, ou espalhe uma colherada delas na salada ou na sopa. O mesmo vale para sementes de abóbora, de chia e de gergelim. Mas cuidado com o sódio; prefira o tipo sem sal. E elas são mais calóricas do que você imagina, portanto, não exagere”, aconselha o médico no livro.
5 – Baixa imunidade
A imunidade também é um fator importante para a prevenção de doenças. Com o passar dos anos, segundo descreve Moreno, o sistema imunológico vai ficando mais debilitado, algo que pode ser melhorado com uma alimentação adequada e hábitos de higiene.
“Vale a pena mencionar que todos os cinco fatores do envelhecimento estão inter-relacionados de alguma forma; portanto, as mudanças de estilo de vida e comportamento que você faz para um fator afetam os outros quatro”.
Para prevenir: Lavar as mãos frequentemente, tomar todas as vacinas necessárias, assegurar que a ingestão de vitaminas seja satisfatória, não fumar e só usar antibióticos quando recomendado pelo médico, orienta Moreno.