terça-feira, 30 de julho de 2013

A ação da Terapia Artística - A opinião dos Médicos

Dr. Moacir Amaral
A Terapia Artística tem uma importância significativa na minha pratica médica, e tenho indicado muitos clientes para o tratamento artístico terapêutico.
Hoje atendo principalmente dentro da clínica dita psiquiátrica, lidando com pacientes em estado depressivo, pacientes ansiosos e em pânico. Pacientes que oscilam entre um estado depressivo e um estado maníaco. Pacientes com formação egóica fragilizada, personalidade fragmentada e até aqueles em que o ego se esfacelou, no chamado surto psicótico.
Nessas situações a Terapia Artística tem-se mostrado de imenso valor curador, aquilo que realmente ajuda o paciente a caminhar em direção a si mesmo. Construindo ou fortificando suas estruturas de personalidade, necessárias à organização da sua vida, com suas estratégias básicas de sobrevivência e convivência.
Muitos de meus pacientes necessitam de medicamentos alopáticos e, no meu entender, os alopáticos têm uma ação de suporte e estruturação de “fora para dentro” semelhante à função do gesso numa fratura óssea; o gesso não cura nada, apenas dá o suporte imobilizador e formador, a partir de “fora”, permitindo que o osso cicatrize a partir de “dentro” pelas forças vitais e formativas do próprio organismo. Estas forças são intensificadas pela medicação antroposófica e homeopática, e também pela Terapia Artística, por isso podemos afirmar que a Terapia Artística é curadora. Lembrando que a Terapia Artística, por exigir a ação do paciente mobiliza o seu Ser essencial, sua Presença estruturadora a partir das profundezas inconscientes para a formação da Alma da Consciência, a verdadeira estrutura curadora a partir de “dentro”. Tenho entendido as doenças como crises à serviço da Alma da Consciência, e a Terapia Artística é um importante coadjuvante nesse processo. Recomendo mesmo”.
Dr. Moacir Amaral
Médico e Terapeuta. Membro da Soc. Bras. De Medicina Antroposófica e Membro do Colégio Internacional de Terapeutas

Exercício para o relaxamento profundo de corpo e mente

http://www.docelimao.com.br/site/cerebro-a-mente/a-pratica/902-exercicio-para-o-relaxamento-profundo-de-corpo-e-mente
Deite-se no chão, sobre um cobertor, os braços ao longo do corpo, as pernas ligeiramente abertas. Feche os olhos muito lentamente. Aja com o ânimo calmo e a consciência do que está se passando. Para facilitar o exercício, aconselha-se gravar as instruções numa fita e escutá-las quando se está deitado e com os olhos fechados; isso possibilita a realização do exercício em completa passividade, e isso o torna muito mais fácil.
  1. Aperte a mão direita inspirando (pensando na mão), relaxe-a expirando (pensando). Prossiga nos outros exercícios sempre pensando durante a inspiração e a expiração.
  2. Aperte a mão esquerda inspirando, relaxe-a expirando.
  3. Com a perna direita sobre o chão, dobre o pé direito de modo que os dedos apontem na direção do joelho. Crie uma tensão inspirando, relaxe a tensão expirando.
  4. Repita agora com o pé esquerdo.
  5. Aperte as nádegas uma contra a outra inspirando, relaxe-as expirando.
  6. Aperte os maxilares inspirando, relaxe-os expirando.
  7. Aperte os olhos inspirando, relaxe-os expirando.
  8. Ao perceber algum ponto do organismo que apresenta tensões residuais, inspire e provoque nesse ponto uma tensão forte e voluntária, e em seguida solte o ar lentamente, relaxando aquele ponto e pensando: "Relaxe... Solte..."
  9. Formule mentalmente as seguintes frases e tome consciência do que acontece em seu corpo a partir das afirmações:
• Meu braço direito está pesado... Muito pesado...
• Meu braço esquerdo está pesado... Muito pesado...
• Minha perna direita está pesada... Muito pesada...
• Minha perna esquerda está pesada... Muito pesada...
• Todo o meu corpo está pesado... Muito pesado...
  • 10. Siga o ritmo da respiração, acompanhando-a com a palavra "vem", quando o ar entra, e a palavra "vai" quando ele sai. Imagine o ar puro como luz que entra, e uma fumaça escura e quente quando sai, levando junto as ansiedades, tensões e toxinas.

Nota: Para quem acha difícil relaxar, lembramos que as vitaminas do grupo B são ligadas ao sistema nervoso e uma carência das mesmas pode provocar nervosismo. A título de informação, é bom saber que o açúcar refinado necessita, para ser assimilado, das vitaminas em questão. O abuso de açúcar (biscoitos, chocolates, balas, bolos e geléias) pode, assim, causar insônia e agitação.
Algumas carnes (os assim chamados "frios', inclusive) tendem a criar nervosismo, pois fornecem muitas energias que o trabalho sedentário não consegue utilizar; a distância entre duas refeições à base de carne (frios, peixe e aves incluídas) não deve ser inferior a 48 horas.
Fonte: Revista Planeta 411 - Editora 3