terça-feira, 17 de setembro de 2013

A saúde é fundamental à beleza

http://www.citen.com.br//saude/a-saude-fundamental-a-beleza.aspx
Sempre que pensamos em beleza pensamos em peso ideal. Impossível deixar de lado essa ligação entre o magro e o belo. Ela faz parte de nossos ideais de beleza e não há nada de mal nisso. Os problemas passam a ocorrer quando priorizamos o peso em detrimento da nutrição. A beleza se torna vulnerável e a saúde perde seu maior aliado, o alimento saudável.
A maior dificuldade encontrada nos dias atuais é aliar a boa nutrição a um peso que atenda aos padrões de beleza. Para conseguir isso de maneira adequada é preciso muita disciplina e uma dieta altamente equilibrada. O objetivo é comer pouco e ao mesmo tempo comer bem, de modo a atender todas as necessidades nutricionais. Como as metas são cruelmente baixas em termos de peso ideal, as restrições são muitas. Comer pouco está sendo mais fácil nos dias atuais do que comer bem, daí o risco imposto à saúde pelas dietas de moda.
Emagrecer é possível e prazeroso. É um processo que nos remete ao "eu narciso", apaixonado por si mesmo e muito, muito feliz. Não é apenas um papel de dieta, um roteiro a ser seguido como mais uma obrigação angustiante dentre as várias que realizamos. É um jeito de viver bem, é um estilo de vida.
O equívoco das dietas de moda
Todos os dias somos apresentados a uma nova dieta, a um modismo. Uma onda que nos envolve e enche de esperança, mas que inexoravelmente revela-se um grande engodo após a desilusão de voltar a engordar. E o pior, fica a impressão de que não tem jeito mesmo, que não conseguiremos emagrecer nunca e que a vida será sempre um vai-e-vem sem fim das nossas proporções corporais e do nosso sentimento de euforia e frustração.
Todas as dietas de moda emagrecem. Todas elas têm um valor calórico muito baixo em relação às nossas necessidades calóricas. Esta defasagem nos faz emagrecer. Apesar disso, essas dietas não têm nenhum compromisso com as nossas necessidades nutricionais, são monótonas, não respeitam as nossas preferências e são, na maioria das vezes, de sabor tão ruim que não vemos a hora de terminar o "regime" para voltar a comer o que gostamos. Isso, por si só, inviabiliza a manutenção do peso.
Não devemos fazer uma dieta cuja meta são pontos e não o valor nutricional do que se come, nem comer uma "gororoba" nutricional destituída de sabor e versatilidade, nem permitir que nos restrinjam
nutrientes fundamentais, como fazem com os carboidratos com a alegação que eles engordam, pois isso é falso.
Este universo do emagrecimento rápido está repleto de outros mitos: comer gordura saturada à vontade, porque ela sacia facilmente; deixar de comer maçã porque nosso grupo sangüíneo é A ou B; ou, ainda, nos entupir de vitaminas sob a alegação de que nosso fio de cabelo revela algumas carências alimentares.... Tudo muito empírico, fantasioso, imediatista e sem nenhum compromisso com a nossa saúde.
Devemos, sim, utilizar as dietas balanceadas, com proporções de nutrientes muito bem estudadas e padronizadas. Elas não têm dono, pois seus autores são muitos estudiosos que foram sedimentando conhecimentos e baseando-se em evidências científicas para chegar ao resultado final. Elas são do domínio da ciência e do conhecimento de todo o mundo acadêmico. Mesmo assim, essas dietas são constantemente reavaliadas e questionadas, o que possibilita mais e mais estudos sobre os mesmos temas.
Para emagrecer com saúde, precisamos de uma dieta com "a nossa cara", que priorize nossas preferências nutricionais, que não nos obrigue a comer o que não gostamos ou pelo menos nos dê opções. Volto a afirmar que isso é possível.
O peso ideal sem beleza
O resultado desse desequilíbrio é o que vemos na prática. Pessoas desnutridas e com peso ideal. Quando jovens, a desnutrição pode até passar despercebida, pois a juventude muitas vezes mascara os sinais de deficiências nutricionais. Mesmo assim, é muito comum os sinais de desnutrição aparecerem sob a forma de flacidez por perda de massa magra, cabelos fracos e quebradiços, alterações menstruais, osteopenia precoce e anemia. Mesmo assim, esses jovens parecem lindos. Seus corpos magros dão fama a muitas etiquetas e marcas famosas e suas faces aparecem como rostos de anjos. O jovem não perde gordura facial até graus extremos de magreza e desnutrição.
À medida que avançamos na idade vamos ficando mais e mais vulneráveis às medidas extremas para perder peso. Passamos a dar a impressão que estamos doentes e não apenas magros. Envelhecemos. Conseguimos chegar ao tão desejado peso da tabela,
passamos a usar o manequim sonhado e nos sacrificamos ao máximo. Perdemos peso e com ele, perdemos juventude e beleza.
A desnutrição é muito comum entre as pessoas que assumem drásticas restrições calóricas, pois é impossível garantir a ingestão dos micronutrientes básicos, como as vitaminas e os minerais. Comer pouco está sendo mais fácil nos dias atuais do que comer bem, daí o risco imposto à saúde pelas dietas de moda. Entre os maiores riscos nutricionais mais comuns estão o ferro, o cálcio e as vitaminas. As mulheres são mais vulneráveis, pois menstruam todos os meses e as perdas de ferro não repostas resultam em anemia. O cálcio não ingerido resulta em massa óssea insuficiente para garantir as perdas naturais da maturidade e todas as vitaminas em falta na puberdade traduzem em menor potencial antioxidante, impossível de serem repostas através das mega-dosagens de vitaminas tão comuns no dia a dia dessas pessoas.
Como fazer uma dieta ideal
A dieta ideal é aquela que emagrece e alimenta ao mesmo tempo. Todas as vezes que consumimos uma dieta muito restritiva, nós perdemos muito além das gordurinhas que nos incomodam tanto. Perdemos saúde e perdemos beleza. Perdemos componentes muito importantes como o colágeno, que dá saúde e beleza ao cabelo e à pele. Nesses casos, não adianta usar as tais cápsulas de colágeno, pois elas são totalmente ineficientes.
Começar o dia com um bom café da manhã é fundamental. Parece que tudo se encaixa em um ritmo de fome e saciedade muito adequado à dieta. Fazer todas as refeições sem pular nenhuma e não subestimar a necessidade do jantar. Os mitos de que o metabolismo à noite é menor e queimamos menos, não tem nenhuma sustentação. Todas as vezes que pulamos refeições, nós deixamos de ser seletivos na próxima refeição e abusamos. Mas o pior não é isso. Todas as vezes que fazemos jejum prolongado, nosso corpo traduz essa situação como escassez de alimentos. Ele se protege reduzindo a queima calórica.
Outro grande mito é a retirada do carboidrato do jantar. Não há vantagem alguma nisso. O ganho de peso não ocorre pela presença deste componente em nossa dieta. Ele ocorre quando o total calórico ingerido no dia todo é maior do que nossa queima calórica e isso é muito mais fácil e seguro de se conseguir com uma dieta balanceada. Finalmente, é preciso rever com muito carinho o peso ideal. Muitas vezes ele é muito diferente do que sonhamos. Para ser possível, deve ser repensado.
Como o processo de emagrecimento saudável é lento, ao invés de criar um código de punições é melhor seguir a lista de boas práticas de alimentação, conciliando o emagrecimento com a saúde.
Rol do emagrecimento saudável
1) Consuma alimentos variados em 3 refeições e 2 lanches ao dia. Pular refeições não emagrece e prejudica a saúde;

2) Não subestime um quilinho a mais, corra atrás de perdê-lo antes que ele se transforme em cinco quilinhos;
3) Pratique atividades físicas todos os dias. Na falta de tempo, inclua na sua rotina a prática de andar a pé, subir escadas e dançar. Arrumar seu quarto também queima calorias;
4) Coma arroz e feijão diariamente, acompanhados de legumes e vegetais folhosos;
5) Coma de 3 a 4 porções de frutas, todos os dias, em seu estado natural;
6) Adicione em seu cardápio refeições com carboidratos integrais como pães e arroz;
7) Reduza a ingestão de açúcar associado às gorduras como os sorvetes, chocolates e tortas. Isso não significa abolir a sobremesa dos seus sonhos. Ela só não pode ser uma rotina na sua vida;
8) Na hora do lanche, priorize as frutas ao invés de biscoitos, bolos e salgadinhos;
9) Coma pouco sal. Evite alimentos enlatados e embutidos como salame, mortadela e presunto, que têm muito sal. Evite também adicionar sal à comida já preparada;
10) Beba leite desnatado e consuma produtos lácteos com baixo teor de gordura, pelo menos 3 vezes ao dia.
São medidas práticas e úteis na busca do peso ideal. Mas essa busca é muito mais que uma lista de atitudes. É um ato de carinho e amor por você. É um estilo de vida. Um jeito de viver bem.